Liz Truss avisada: tem horas para salvar o seu emprego

CNN , Rob Picheta
20 out, 10:57
Liz Truss Getty Images

Primeira-ministra do Reino Unido está a ser pressionada dentro do seu próprio partido.

Liz Truss está a lutar para salvar o seu emprego como primeira-ministra da Grã-Bretanha, depois de mais deputados britânicos terem apelado à sua demissão, incensados por uma votação parlamentar desordeira e pela demissão da sua secretária de Estado da Administração Interna na quarta-feira.

O governo de Truss tem “12 horas” para “dar a volta ao navio”, afirmou o deputado conservador Simon Hoare esta quinta-feira, depois de uma votação sobre a proibição ou não do polémico fracking do gás de xisto ter deslizado para o caos.

Vários deputados relataram que assistentes de Truss conduziram legisladores ao lobby para força-los a votar contra a proibição. O governo apresentou inicialmente a votação como uma moção de confiança no governo de Truss, mas continua a haver confusão sobre se o foi. Um porta-voz de Downing Street disse na quinta-feira que os deputadores conservadores que não participaram na votação de quarta-feira à noite irão enfrentar uma ação disciplinar.

O caos surgiu horas depois de Suella Braverman, secretária da Administração Interna de Truss, ter dramaticamente renunciado ao cargo, apenas seis semanas depois, no que foi visto como um ataque borbulhante à liderança da PM.

“Os assuntos do governo dependem de pessoas que aceitem a responsabilidade pelos seus erros. Fingir que não cometemos erros, continuar como se todos não conseguissem ver que os cometemos, e esperar que as coisas corram magicamente bem não é política séria", escreveu Braverman numa crítica às inúmeras reviravoltas de Truss em relação aos impostos e despesas públicas.

“Estou preocupado com a direção deste governo”, disse Braverman. “Não só quebrámos promessas chave que foram feitas aos nossos eleitores, como tenho sérias preocupações acerca do compromisso deste Governo em honrar os compromissos do manifesto".

Truss, que despediu o seu ministro das Finanças na semana passada, após um plano financeiro desastroso e já abandonado ter causado tumultos nos mercados, deve agora concentrar-se em chegar ao fim-de-semana sem que os seus próprios deputados se movimentem para a destituir.

O deputado Crispin Blunt disse à BBC Radio 4 na quinta-feira que a posição de Truss é “totalmente insustentável”, acrescentando que ela demonstrou uma “falta de autoconhecimento” neste processo.

“E se ela não compreender isso então eu ficarei espantado”, disse Blunt. “Mas uma das qualidades que ela demonstrou é a falta de autoconhecimento de todo este processo, porque deveria ter ficado claro que ela não tinha a capacidade para liderar o nosso partido e eu não acho que ela devesse sequer ter-se colocado na liderança".

Europa

Mais Europa

Patrocinados