Assistente de Carlos III e Camilla demite-se após "comentários inaceitáveis"

Agência Lusa , CF
30 nov 2022, 18:53
Rei Carlos III (AP Photo)

A mulher responsável, identificada como Susan Hussey, fez comentários "profundamente lamentáveis", alegadamente de natureza racista, a Ngozi Fulani, diretora da instituição de violência doméstica Sistah Space

Uma assistente do Rei Carlos III e da Rainha Camilla demitiu-se esta quarta-feira devido a "comentários inaceitáveis" que fez à diretora de uma instituição de caridade durante um evento oficial, anunciou o Palácio de Buckingham.

A mulher responsável, identificada na imprensa britânica como Susan Hussey, fez comentários "profundamente lamentáveis", alegadamente de natureza racista, a Ngozi Fulani, diretora da instituição de violência doméstica Sistah Space, sediada em Londres, num evento na terça-feira à noite.

"Levamos este incidente muito a sério e investigámos imediatamente para estabelecer os detalhes. A pessoa em questão deseja expressar as suas desculpas pelos pelo desgosto causado e retirou-se da sua posição honorária com efeito imediato", disse o Palácio, num comunicado.

O incidente foi primeiro revelado pela própria Fulani no Twitter, onde transcreve a conversa que teve com "Lady SH" durante a receção na terça-feira no Palácio de Buckingham oferecida por Camilla para denunciar a violência contra as mulheres, convidando 300 representantes de instituições de caridade.

A ativista londrina explicou que, pouco depois de chegar, a aristocrata aproximou-se dela e questionou-a insistentemente sobre as “verdadeiras" origens e "de que parte de África” era, apesar de Fulani repetir que tinha nascido e crescido no Reino Unido.

"Senhora! Sou britânica, os meus pais emigraram nos anos 50 quando...," disse Fulani, ao que, segundo o relato desta, “Lady SH” respondeu: "Ah, eu sabia que iríamos chegar ao fundo disto, ela é das Caraíbas!".

Mandu Reid, líder do Partido da Igualdade das Mulheres, que assistiu à conversa, disse que os comentários de Hussey foram "ofensivos" e "racistas" ao questionar se uma pessoa negra é britânica.

Embora Ngozi Fulani e o Palácio não tenham nomeado a responsável em causa, esta foi identificada na imprensa como Lady Susan Hussey, de 83 anos de idade, madrinha do príncipe William e uma dama de companhia de Isabel II que permaneceu na corte do Rei Carlos III e da Rainha Consorte Camilla. 

Relacionados

Europa

Mais Europa

Mais Lidas

Patrocinados