Está instalada a confusão sobre quando é que a Princesa de Gales voltará a aparecer em público

CNN , Análise de Lauren Said-Moorhouse e Max Foster
6 mar, 14:40
Kate Middleton (Getty Images)

Palácio enfrenta uma pressão pública cada vez maior para partilhar mais informações sobre a futura rainha, mas tem-se mantido firme na proteção da sua privacidade

A especulação sobre quando Catherine, a princesa de Gales, regressará aos compromissos reais oficiais continua esta semana, depois das expectativas terem sido criadas por uma fonte improvável: o exército britânico.

O Ministério da Defesa do Reino Unido colocou os bilhetes para os desfiles anuais da Trooping the Colour à venda online, na terça-feira. A Trooping the Colour é o espetáculo militar realizado por centenas de pessoas entre o Palácio de Buckingham e a Horse Guards Parade todos os verões.

Os bilhetes foram anunciados ao público com as presenças de Kate, de 42 anos, e do Rei Carlos III, a 8 e 15 de junho, respetivamente. A confirmação das primeiras aparições públicas de ambos desde o susto com a sua saúde foi motivo de alegria para os observadores da realeza, seguida de uma onda de preocupação com o facto de a princesa demorar tanto tempo a regressar.

Só que aparentemente o Exército não recebeu autorização do Palácio de Kensington para a anunciar a presença de Kate.

Carlos III cumprimenta o ministro das Finanças, Jeremy Hunt, na sala de audiências privada do Palácio de Buckingham, em Londres, na terça-feira. (Aaron Chown/AFP/Getty Images)

O palácio, que gere a agenda da princesa, ainda não tinha confirmado que esta iria fazer a revista aos Guardas Irlandeses. Este ano, o regimento está a apresentar as bandeiras d seu regimento e parece que o exército se precipitou ao assumir que Kate estaria presente na qualidade honorária de coronel da Guarda Irlandesa.

A incerteza persistiu durante horas até que o anúncio foi retirado do site do exército na terça-feira à noite. No entanto, a presença do rei Carlos III no evento de 15 de junho - também conhecido como o desfile de aniversário do soberano - continua a constar do site, onde o público pode participar numa licitação online para obter bilhetes.

Ambos os membros da realeza suspenderam temporariamente os compromissos públicos. Kate está fora de cena até depois da Páscoa, enquanto Carlos se afastou enquanto recebe tratamento para o cancro. O rei continua a assumir as suas responsabilidades constitucionais e foi fotografado esta semana com o ministro das Finanças Jeremy Hunt, no Palácio de Buckingham, antes da apresentação do orçamento do governo britânico esta quarta-feira.

No meio de uma avalanche de teorias da conspiração nas redes sociais, o Palácio de Kensington reiterou na semana passada que tinha "deixado claro em janeiro os prazos de recuperação da princesa" e que "essa orientação permanece". Separadamente, uma fonte real disse à CNN que ela "continua a estar bem".

Esta semana, o público teve também a primeira visão de Kate desde sua operação de janeiro, uma vez que esta foi vista em Windsor, nos arredores de Londres.

A princesa foi vista com óculos escuros e sentada no banco do passageiro da frente do carro conduzido pela mãe, Carole Middleton.

A CNN decidiu não publicar a fotografia dos paparazzi quando esta começou a circular nas redes sociais na segunda-feira. A fotografia não parece ter sido utilizada por nenhum órgão de comunicação social britânico.

Não foram enviadas quaisquer orientações do palácio a aconselhar os meios de comunicação social para não utilizarem a fotografia. A CNN optou por não a publicar com base no facto de poder ter sido tirada em terrenos privados, o que poderá constituir uma violação da privacidade que não é compensada por qualquer outro valor noticioso. (No Reino Unido, os tribunais consideram que a lei da privacidade é violada quando um indivíduo tem uma "expetativa razoável de privacidade").

A outra consideração é que, embora saibamos que a operação de Kate não estava relacionada com cancro, não sabemos qual a gravidade do seu estado ou em que fase de recuperação se encontra.

A existência da fotografia veio, no entanto, acabar com alguns dos rumores e teorias da conspiração que circularam recentemente nas redes sociais sobre a saúde e o paradeiro da princesa.

O palácio enfrenta uma pressão pública cada vez maior para partilhar mais informações sobre a futura rainha, mas tem-se mantido firme na proteção da sua privacidade. Para a família, é uma questão profundamente pessoal saber até que ponto as suas liberdades individuais devem ser cedidas em prol do interesse público.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Mais Lidas

Patrocinados