Factos primeiro: o gasóleo ficou mesmo mais caro que a gasolina?

18 abr, 18:00
Combustíveis. Foto: Frank Augstein/Ap

A guerra não trouxe apenas aumento do preço dos combustíveis, trouxe também a notícia de que pela primeira vez o gasóleo ficaria mais caro do que a gasolina. Mas ficou mesmo? Veja os factos.

“Gasóleo dispara 14 cêntimos na próxima semana e fica mais caro que gasolina”. Esta notícia da Agência Lusa de 4 de março anunciava que, pela primeira vez, os condutores de veículos a diesel pagariam mais do que os a gasolina. O acontecimento inédito ocorreria, apontavam essas previsões, dali a três dias.

Mas, a 7 de março, isso não aconteceu.

A 28 de março, as previsões repetiram-se: o preço de venda do gasóleo ultrapassaria o do gasolina, em resultado da escalada dos preços internacionais de energia.

Mas, a 29 de março, verificou-se que isso não aconteceu.

Aconteceu alguma vez?

Porque falham as previsões?

Habituámo-nos a notícias semanais sobre as previsões de preços das gasolinas para a segunda-feira seguinte. Tem aliás sido o próprio governo a comunicar as suas expetativas de evolução. Depois, tipicamente, verifica-se que as estimativas falham, mesmo se por poucos cêntimos por litro.

Isto acontece sobretudo por duas razões: primeiro, o preço de venda é livre em Portugal, qualquer gasolineira (e qualquer posto de abastecimento) fixa o preço que quer; depois, porque os preços não mudam apenas à segunda-feira, mas sim todos os dias – existindo, isso sim, a tradição em Portugal de introduzir grandes variações às segundas-feiras.

Porque há então previsões?

Porque existe uma fórmula de cálculo de preço que serve de referência aos operadores. Essa fórmula incorpora a cotação média da semana anterior do preço do petróleo bruto e do preço dos produtos refinados. É com base nessas médias que o governo, os jornalistas ou os operadores de mercado observam evoluções previsíveis dos preços dos combustíveis.

Se os preços são todos diferentes, como sabemos a sua evolução?

Através de médias. Todos os dias, a Direção-Geral de Energia e Geologia publica os preços de venda médios dos gasóleos e gasolinas vendidos na véspera em cerca de 2.900 postos de abastecimento em Portugal. Esses preços são aqueles que foram efetivamente pagos pelos condutores, o que significa que incorporam descontos (de cartões de pontos, por exemplo). É por isso que os preços médios reais são mais baixos do que os preços afixados em cada bomba, que por sua vez também são publicados, no site da ENSE - Entidade Nacional para o Setor Energético.

Porque sobem tanto os combustíveis?

Sobretudo por causa dos impactos da invasão da Ucrânia pela Rússia nos preços da energia, incluindo o do petróleo. O custo desta matéria-prima já vinha subindo no final da pandemia, na adaptação das cadeias logísticas, mas acelerou com a guerra. Sobretudo porque a Rússia é um grande exportador de petróleo para a Europa e os receios quanto ao fluxo de fornecimento, com as crescentes sanções, criaram desequilíbrios nos mercados internacionais. Esta segunda-feira, 18 de março, o índice Brent estava cerca de 20% mais do alto do que a 23 de fevereiro, véspera da invasão.

Porque sobe o gasóleo mais do que a gasolina?

Em regra, o gasóleo é mais barato do que a gasolina por uma razão: ambos os combustíveis são produzidos a partir do crude, o petróleo em estado bruto, mas o processo de refinação no gasóleo é mais simples e, logo, mais barato, do que na gasolina.

Contudo, desde o início da guerra, o gasóleo tem subido mais do que a gasolina. Em primeiro lugar, porque a Rússia é uma grande exportador não apenas de petróleo (em estado bruto) mas também diretamente de gasóleo (em estado refinado). Depois, porque o gasóleo tem outras finalidades que a gasolina não tem: é usado em maquinaria industrial de empresas ou no aquecimento dos lares, por exemplo.

“A Europa é deficitária em gasóleo. Numa situação de mercados agitados, é normal que se sinta mais o preço [a subir] onde não somos autossuficientes”, resumia António Comprido há cerca de um mês à CNN Portugal.

Afinal, o gasóleo ficou ou não mais caro do que a gasolina?

Basta passear pelo país para observar que, no mesmo dia, houve postos de abastecimento em que isso aconteceu e outros em que não. Por isso, a melhor forma de comparar é olhar para os preços médios praticados em Portugal ao longo dos dias.

E a evolução é esta:

Evolução entre 23 de fevereiro (véspera da invasão da Ucrânia) e 17 de abril de 2002. Fonte: Direção-Geral de Energia e Geologia

Como mostra o gráfico, o preço do petróleo simples nunca chegou a ultrapassar o da gasolina simples 95, ao contrário de previsões nesse sentido. A evolução dos preços médios em Portugal continental mostra também as enormes oscilações de preços dos combustíveis neste período.

Foi a 29 de março que a diferença entre o preço dos dois combustíveis foi menor, quando o gasóleo custou em média 2,008 euros e a gasolina 2,034 euros. Nesse dia, o gasóleo foi, em média, 2,6 cêntimos mais barato do que a gasolina. Mas nunca foi mais caro.

Resposta: Falso. Desde o início da invasão da Ucrânia, a 24 de fevereiro, até à publicação deste artigo, com dados de 17 de abril de 2022, o preço médio do gasóleo simples vendido em Portugal nunca foi, no mesmo dia, mais caro do que o preço médio da gasolina simples 95.

 

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Dinheiro

Mais Dinheiro

Patrocinados