Está tudo a postos para a noite mais desejada de Hollywood: conheça os dez candidatos ao Óscar de Melhor Filme

9 mar, 18:00

Cerimónia de entrega dos mais desejados prémios do cinema acontece na madrugada de domingo para segunda-feira

Enquanto se contam os votos das eleições em Portugal, começam a desfilar as estrelas na passadeira vermelha do Dolby Theatre, em Los Angeles, EUA. A cerimónia de entrega dos Óscares da Academia de Hollywood está marcada para as 19:00 locais, ou seja, 23:00 de domingo em Lisboa (uma hora mais cedo do que o habitual).

O humorista Jimmy Kimmel é o anfitrião e entre os nomeados encontram-se os grandes sucessos de bilheteira do ano passado, "Oppenheimer" e "Barbie". "Pobres Criaturas" e "Assassinos da Lua das Flores" também estão entre os previsíveis vencedores da noite.

ESTA É A LISTA COM TODOS OS NOMEADOS

Conheça melhor os dez nomeados a Melhor Filme:

"Anatomia de uma Queda"

Um homem cai do telhado de casa. Pode ter sido um acidente, pode ter sido suicídio ou homicídio. Após uma investigação policial, a mulher é acusada e tem de defender-se em tribunal. Os testemunhos levam-nos numa viagem à intimidade do casal de escritores e revelam rivalidades, discussões e problemas que se escondiam por trás da aparência de família feliz. Sandra Hüller e Samuel Theis interpretam o casal, Milo Machado-Graner o filho e Swann Arlaud o advogado.

Realizado pela francesa Justine Triet, que escreveu o argumento com o seu marido, Arthur Harari, "Anatomia de uma Queda" ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes e, desde então, foi nomeado para diferentes prémios - dos Césares aos Bafta, passando pelos Globos de Ouro onde foi vencedor nas categorias de Melhor Filme em Língua Não Inglesa e Melhor Argumento.

Está nomeado para cinco Óscares: Melhor Filme, Realização, Atriz (Sandra Hüller), Argumento Original e Montagem.

"Barbie"

Foi o filme mais visto em todo o mundo (e também em Portugal) no ano de 2023. Curiosamente, tal como em "Anatomia de uma Queda", "Barbie" também é realizado por uma mulher, Greta Gerwig, que coescreveu o argumento com o seu companheiro, Noah Baumbach.

A atriz Margot Robbie interpreta a famosa boneca e Ryan Gosling é Ken. Vivem na "Barbieland", uma cidade cor-de-rosa onde estão todos os modelos de Barbie e Ken que já existiram no mercado e os seus muitos acessórios coloridos. E onde as mulheres têm um papel central (com várias profissões, como os modelos das bonecas) e os homens passam o dia na praia a surfar e jogar voleibol. Só que um dia a "Barbie Estereotipada" começa a ter dúvidas existenciais e a revelar características humanas, que a levam a questionar o sentido da sua vida e a querer saber o que existe para lá da Barbieland.

O filme já ganhou vários prémios, de cinema e também para a música, incluindo o Globo de Ouro para Melhor Canção, "What Was I Made For".

Está nomeado para oito Óscares: Melhor Filme, Ator (Ryan Gosling), Atriz Secundária (America Ferrera), Argumento Adaptado, Design de Produção, Guarda-Roupa e ainda duas Canções - "What Was I Made For", de Billie Eillish, e  "I'm Just Ken", de Mark Ronson.

Causou alguma polémica o facto de num filme que pretende passar uma mensagem feminista nem a realizadora, Greta Gerwig, nem a protagonista, Margot Robbie, terem sido nomeadas. 

"Os Excluídos"

A ação passa-se em 1970, num colégio interno na Nova Inglaterra, EUA. Um professor falhado (interpretado pelo ator Paul Giamatti), um jovem problemático (Dominic Sessa) e a responsável pelo refeitório (Da'Vine Joy Randolph) são os únicos a passar as férias de Natal no colégio e são forçados a conviver durante duas semanas. Mal se conhecem, mas vão criar cumplicidades.

Esta comédia realizada por Alexander Payne tem sido aclamada pela crítica e nomeada para diversos prémios. Da'Vine Joy Randolph já ganhou, por exemplo, o Globo de Ouro e um Bafta como atriz secundária e é apontada como a grande favorita ao Óscar nesta categoria.

"Os Excluídos" está nomeado para cinco Óscares: Melhor Filme, Ator (Paul Giamatti), Atriz Secundária (Da'Vine Joy Randolph), Argumento Original e Montagem.

"Assassinos da Lua das Flores"

São 3 horas e 40 minutos para contar magnificamente a história dos crimes ocorridos no início do século XX entre a comunidade Osage, quando o território destes indígenas norte-americanos se revelou rico em petróleo, gerando inveja entre os ambiciosos homens da região.

Martin Scorsese, de 81 anos, está nomeado pela décima vez como realizador, embora só tenha ganhado uma vez: com "The Departed - Entre Inimigos" (2007). Já Leonardo DiCaprio foi ignorado pela Academia.

"Os Assassinos da Lua das Flores" está nomeado para dez Óscares: Melhor Filme, Realização, Atriz (Lily Gladstone), Robert De Niro (Ator Secundário), Fotografia, Montagem, Design de Produção, Guarda-Roupa, Banda Sonora Original e Canção.

"Maestro"

Bradley Cooper realiza e interpreta o filme inspirado na vida de Leonard Bernstein, compositor, maestro e divulgador de música, autor tanto de obras orquestrais como de musicais da Broadway, o responsável por êxitos como “West Side Story” ou “on The Town”.

A vida de Bernstein estende-se de 1918 até 1990 e "Maestro" atravessa o século XX homenageando os estilos cinematográficos das diferentes épocas. O filme foca-se na relação de Bernstein com a atriz Felicia Montealegre (interpretação de Carey Mulligan). Apesar de terem sido casados durante 27 anos, até à morte dela devido a cancro, e terem tido três filhos, esta era uma relação complexa: Bernstein era bissexual, era apaixonado por Felicia mas manteve sempre relações com outros homens.

O filme é produzido por Martin Scorsese, Steven Spielberg e Bradley Cooper, que se dedicou de alma e coração a este projeto nos últimos seis anos, tendo, inclusivamente, aprendido a dirigir uma orquestra para poder interpretar com o máximo realismo a cena em que Bernstein dirige a Orquestra Sinfónica de Londres, na Catedral de Ely, em 1976. A cena dura seis minutos, durante os quais Cooper está mesmo a dirigir a Orquestra Sinfónica de Londres que está mesmo a tocar.

"Maestro" está nomeado para sete prémios Óscar: Melhor Filme, Ator (Bradley Cooper), Atriz (Carey Mulligan), Argumento Original, Fotografia, Caracterização e Som.

"Vidas Passadas"

É a primeira longa-metragem realizada por Celine Song, sul-coreana baseada nos Estados Unidos, e o filme é em parte autobiográfico. "Vidas Passadas" acompanha a história de dois amigos de infância, Nora e Hae Sung, em Seul, que se separam quando a família dela decide emigrar. Acabam por crescer de forma bastante diferente e retomar o contacto, já jovens adultos, através do Facebook e telefonemas, mantendo por algum tempo uma relação virtual mas muito intensa. Voltamos a encontrá-los anos mais tarde, em Nova Iorque: Nora (interpretação de Greta Lee) tem uma carreira de sucesso, é casada e feliz com Arthur (John Magaro), quando Hae Sung (Teo Yoo) aparece para uma visita.

"Vidas Passadas" está nomeado para dois Óscares: Melhor Filme e Argumento Original (também de Celine Song).

"Pobres Criaturas"

Numa Londres imaginada, misto de passado e futuro, o médico e cientista Godwin Baxter (interpretação de Willem Dafoe) faz experiências com corpos humanos. Uma dessas experiências é Bella (Emma Stone), cérebro de criança em corpo de mulher, ainda a aprender a linguagem e a começar a entender o que a rodeia, completamente livre na sua inocência não formatada pela sociedade. Mas Bella cresce depressa, quer conhecer o mundo e as pessoas e parte em viagem com Duncan (Mark Ruffalo). Para Bella, esta é também uma viagem de autoconhecimento, de descoberta da sexualidade e do que significa ser mulher.

Realizado por Yorgos Lanthimos, "Pobres Criaturas" também passa por (uma espécie de) Lisboa, onde Bella se delicia com pastéis de nata e ouve Carminho a cantar o fado "O Quarto".

"Pobres Criaturas" ganhou o Leão de Ouro no Festival de Veneza e, desde então, tem recebido muitos outros prémios - sobretudo para a atriz Emma Stone.

Está nomeado para onze Óscares: Melhor Filme, Realização, Atriz (Emma Stone), Ator Secundário (Mark Ruffalo), Argumento Adaptado, Fotografia, Montagem, Design de Produção, Guarda-Roupa, Caracterização e Banda Sonora Orginal.

"Oppenheimer"

O físico norte-americano J. Robert Oppenheimer é conhecido como "o pai da bomba atómica" pelo seu papel no "Projeto Manhattan", que desenvolveu as armas nucleares entre 1942 e 1946. Aclamado como herói no final da Segunda Guerra Mundial, Oppenheimer acabaria por cair em desgraça devido às suas posições relativamente à energia nuclear e às suas opiniões políticas de esquerda, consideradas ameaçadoras no contexto da Guerra Fria.

O filme realizado por Christopher Nolan conta a vida de Oppenheimer, mergulhando nos pormenores da mecânica quântica e da física nuclear, ao mesmo tempo que nos permite entender os conflito éticos de um investigador que abriu novos caminhos na ciência mas também foi responsável pela morte e pelo sofrimento de milhares de pessoas.

"Oppenheimer" parte como grande favorito na corrida aos Óscares e está nomeado para 13 prémios: Melhor Filme, Realização, Ator (Cillian Murphy), Atriz Secundária (Emily Blunt), Ator Secundário (Robert Downey Jr.), Argumento Adaptado, Fotografia, Montagem, Design de Produção, Guarda-Roupa, Caracterização, Som e Banda Sonora Original.

"A Zona de Interesse"

Rudolf Höss, o oficial nazi que dirigiu o campo de concentração de Auschwitz, na Polónia, morava com a sua família numa moradia mesmo ao lado do campo, na chamada "zona de interesse" dos alemães. De um lado do muro, milhares de judeus (e não só) eram assassinados, enquanto do outro lado do muro vivia uma família feliz, com crianças a brincar no jardim florido e a dar mergulhos na piscina.

Este é o ponto de partida do filme do realizador Jonathan Glazer, que filma sempre do lado de fora do campo de concentração. Mas o horror está constantemente presente - por exemplo, através do fumo negro que sai das chaminés e sobretudo através dos sons vindos do campo de extermínio.

Christian Friedel interpreta Rudolf Höss, enquanto Sandra Hüller (a mesma atriz de "Anatomia de uma Queda") é a sua mulher, Hedwig.

"Zona de Interesse" está nomeado para cinco Óscares: Melhor Filme, Realização, Argumento Adaptado (também de Jonathan Glazer), Filme Internacional e Som.

"American Fiction"

Depois de ver os seus livros recusados pelas editoras, um escritor e professor universitário negro decide escrever um "romance satírico" usando todos os clichés associados à "ficção negra", incluindo personagens que vivem em bairros sociais, são traficantes de droga e falam em calão. O livro, assinado sob pseudónimo, acaba por ser um sucesso estrondoso (agradando sobretudo à elite branca intelectual), causando vários dilemas éticos ao autor.

Estreia na realização do argumentista Cord Jefferson, "American Fiction" está nomeado para cinco Óscares: Melhor Filme, Ator (Jefrrey Wright), Ator Secundário (Sterling K. Brown), Argumento Adaptado e Banda Sonora Original.

Relacionados

Artes

Mais Artes

Mais Lidas

Patrocinados