Depois de Portugal, Espanha sequencia monkeypox e confirma variante de menor gravidade

26 mai, 12:55
Inovações made in Portugal e avanços mundiais

Variante que chegou aos países europeus é proveniente da África Ocidental, sendo que a linhagem que provoca doença mais grave está ligada à África Central

O Instituto espanhol de Saúde Carlos III (ISCIII) conseguiu sequenciar a 100% o genoma do vírus que está a causar os casos de Monkeypox na Europa, numa altura em que Portugal (com 58 casos) e Espanha (com 84 casos) são os países mais afetados fora da região endémica. De resto, a descoberta do laboratório espanhol segue-se à sequenciação feita pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), que conseguiu fazer o mesmo.

"A sequenciação contou com as referências publicadas nos últimos dias por outros países (Bélgica, Alemanha, Portugal e Estados Unidos)", refere o instituto no comunicado.

A partir de 23 amostras de pacientes infetados, o ISCIII conseguiu confirmar que a variante em circulação na Europa chegou da África Ocidental, sendo que apresenta uma menor gravidade.

Refere aquele laboratório que a identificação dos 190 mil pares de base do genoma consiste numa das mais completas sequenciações já feitas sobre este vírus.

Os resultados espanhóis apontam ainda que o vírus que circula fora da região endémica será o mesmo em quase todos os países europeus onde se registaram casos. Seguir-se-á uma análise de comparação entre os casos em Espanha e outros países europeus para identificar a origem dos diferentes surtos.

O ISCIII recorda que existem duas linhagens diferentes do vírus Monkeypox: um da África Central e outro da África Ocidental. Este último é o identificado na Europa, e está sinalizado como menos agressivo.

As descobertas dos cientistas espanhóis vão ao encontro do identificado por Portugal. O microbiologista João Paulo Gomes disse à agência Lusa que o vírus Monkeypox em circulação em vários países, incluindo Portugal, onde não é endémico, pertence a uma linhagem menos agressiva com origem na África Ocidental.

"Trata-se da forma menos severa do vírus", afirmou o investigador do INSA, em Lisboa, onde a equipa que dirige sequenciou o genoma do Monkeypox na origem do recente surto, tornando Portugal o primeiro país a fazê-lo.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados