Kayla regressou a casa seis anos depois devido a um retrato-robô mostrado numa série de mistérios por resolver da Netflix

17 mai 2023, 20:27
Kayla Unbehaun

Jovem, atualmente com 15 anos, estava desaparecida desde 2017. Pai nunca deixou de a procurar

Um retrato-robô de Kayla Unbehaun exibido na série da Netflix "Unsolved Mysteries" (Mistérios por Resolver) foi suficiente para que um empregado de uma loja em Ashville, na Carolina do Norte, reconhecesse a jovem desaparecida. A imagem mostrava como Kayla, que desapareceu quando tinha 9 anos, seria aos 12 anos. E o funcionário - que não foi identificado pela polícia - não teve dúvidas e deu o alerta.

"No sábado, 13 de maio de 2023, a polícia de South Elgin foi notificada pela polícia de Asheville, na Carolina do Norte, de que tinha recebido uma dica de um empregado de uma loja da cidade que reconheceu a rapariga desaparecida e a sua mãe e se lembrava de que a rapariga tinha sido dada como desaparecida. A loja notificou imediatamente a polícia de Asheville. Depois de coordenar com a polícia de Asheville, a polícia de South Elgin confirmou que as duas pessoas na loja de Asheville eram, de facto, a menina desaparecida e Heather [Unbehaun]", explicou, em comunicado, a polícia de South Elgin, em Illinois.

Imagem exibida na série da Netflix

Ao fim de seis anos, Kayla regressou aos braços do pai, Ryan Iserka, que nunca deixou de procurar a filha, publicando, inclusive, várias mensagens nas redes sociais onde dizia ao mundo que não ia desistir de a encontrar. A última vez que a tinha visto foi a 4 de julho de 2017, antes da menina ir visitar a mãe. 

No Facebook, Iserka, que teve um relacionamento de cinco anos com a mãe de Kayla, ia assinalando os aniversários da filha, os Natais sem a sua presença, e os anos da sua ausência. Em janeiro de 2021, data do 13.º aniversário de Kayla, no post público de Iserka podia ler-se: "Feliz aniversário Kayla! Amo-te para sempre e espero que estejas segura, feliz e estou sempre ansioso por te voltar a ver um dia. Rezo por ti todos os dias e penso em ti todo o dia. O meu amor por ti não tem limites nem fronteiras. És sempre incondicionalmente bem-vinda na tua casa aqui connosco e nos meus braços."

Uma publicação que, segundo o Chicago Tribune, repetiu este ano, onde afirmou sentir a falta da filha todos os dias e que "a verdade" é que ainda está "viva" e a ama "com cada batida do coração".

"Amo-te e sinto muito a tua falta. Pergunto-me o que te terão contado sobre mim e se quererias voltar a ver-me depois de tudo o que te contaram. Agora és uma jovem mulher com os teus próprios pensamentos e opiniões. Espero que tenhas idade suficiente para perceberes que só conheces metade da história de um ponto de vista. Espero que te lembres da verdade sobre como as coisas eram quando podíamos estar todos juntos, como as coisas eram realmente boas."

Agora, Ryan Iserka tem Kayla de novo nos braços e não podia estar mais feliz. "Estou muito feliz por a Kayla estar a salvo em casa. Pedimos privacidade enquanto nos voltamos a conhecer e temos este novo começo." 

A reação foi divulgada através do Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas (NCMEC), uma vez que o pai recusou todos os pedidos da comunicação social para prestar declarações.

Ao longo dos seis anos foi o NCMEC responsável pela divulgação da informação sobre a jovem, mas também pela criação dos retratos-robôs de Kayla. O primeiro foi criado para ser usado no episódio da terceira temporada da série da Netflix - a história de Kayla não foi contada, apareceu apenas numa breve parte sobre pessoas desaparecidas -, mas para além desse, o NCMEC divulgou ainda uma segunda imagem, de Kayla já adolescente.

"Posso dizer que ficámos absolutamente entusiasmados sempre que temos uma recuperação a longo prazo como esta ou, na verdade, qualquer recuperação. Este caso é um exemplo espantoso da razão pela qual devemos manter sempre viva a esperança", afirmou Leemie Kahng-Sofer, do Centro Nacional para as Crianças Desaparecidas e Exploradas, ao Chicago Tribune.

A mãe de Kayla, que foi detida em Ashville, atualmente com 40 anos, vai comparecer num tribunal da Carolina do Norte no dia 11 de julho. Depois de ter pago uma fiança de 25 mil dólares, Heather Unbehaun foi libertada na terça-feira. Está acusada de rapto de crianças.

Relacionados

E.U.A.

Mais E.U.A.

Mais Lidas

Patrocinados