FIFA pede suspensão de antigo presidente da Federação da África do Sul

17 ago 2016, 14:38
Memorial pelos atletas mortos na África do Sul (REUTERS)

Kirsten Nematandani acusado de fazer parte de organização que combinava resultados para favorecer apostadores

A Comissão de Ética da FIFA pediu uma suspensão de seis anos para o antigo presidente da Federação da África do Sul, Kirsten Nematandani, por viciação de resultados em 2010.

A informação foi avançada em comunicado pelo organismo do futebol mundial, o qual pede também suspensões pelo mesmo facto para Jonathan Musavengana, antigo responsável da Federação do Zimbabué, e Banna Tchanile, antigo selecionador do Togo.

A câmara de inquérito da FIFA pede «uma sanção de pelo menos seis anos e uma multa de pelo menos 10 mil francos suíços (cerca de 9.200 euros) para Kirsten Nematandani», presidente da federação sul-africana de 2009 a 2013, diz o comunicado.

Para Jonathan Musavenga e Banna Tchanile é pedida mesmo a irradiação do futebol.

Os três são acusados de terem feito parte de uma organização de resultados combinados com a seleção sul-africana, em 2010, na preparação para o Mundial, que se disputou no país africano.

Entre os jogos suspeitos estão os que a África do Sul disputou frente à Tailândia (4-0), Bulgária (1-1), Guatemala (5-0) e Colômbia (2-1).

Os resultados eram arranjados por Wilson Raj Perumal, um cidadão de Singapura que escolhia os árbitros, com o objetivo de satisfazer a vontade dos apostadores.

Invencível em toda a fase de preparação, a África do Sul acabou eliminada na fase de grupos do Mundial que organizou, apesar de ter vencido a França por 2-1.

No seguimento do pedido da Comissão de Ética, os juízes da FIFA decidirão quais as sanções a aplicar.

Relacionados

Patrocinados