Frente em Vila Real continua a arder com intensidade

Agência Lusa , FMC
22 ago, 14:30
Incêndio em Vila Real (Lusa/ Pedro Sarmento Costa)

Outras frentes vão "apresentar algumas preocupações"

O incêndio que deflagrou domingo na Samardã, Vila Real, mantinha pelas 13:00 desta segunda-feira três frentes ativas, uma delas a arder com “bastante intensidade” e que apresenta “alguma preocupação”, segundo a Proteção Civil.

O comandante distrital de operações de socorro (CODIS) de Vila Real, Miguel Fonseca, disse, num ponto de situação feito pelas 13:00, que as outras “duas frentes, excetuando alguns pontos quentes, estão em consolidação”.

A frente que se encontra mais ativa, explicou, localiza-se na “cumeada da serra do Alvão”.

"Temos neste momento meios a trabalhar, estamos a posicionar meios, contamos já com os meios aéreos que estão a fazer esse apoio. Contamos efetivamente, durante as próximas horas, se tudo correr conforme está a ser planeado, conseguir, pelo menos, dominar essa frente”, frisou.

Durante a tarde perspetivam-se um aumento da temperatura e ventos fortes e com diferentes direções pelo que, segundo referiu, também as outras frentes (Vila Pouca de Aguiar e Mouçós) vão “apresentar algumas preocupações”.

“Vão exigir dos meios que estão no teatro de operações o empenho máximo”, frisou.

Desde o início da ocorrência, segundo o CODIS, registaram-se seis feridos ligeiros neste teatro de operações, cinco operacionais e um civil, devido a inalação de fumo e, um deles, uma queda.

O alerta para o fogo foi dado às 07:00 de domingo, na serra do Alvão, zona da Samardã, e o vento forte e inconstante que se fez sentir empurrou-o em três frentes distintas, tendo atravessado a Estrada Nacional 2 (EN2) e a Autoestrada 24 (A24).

“Neste momento estamos a reforçar em termos de meios aéreos. Para além dos cerca de 400 operacionais estamos a reforçar, temos mais um grupo de combate em trânsito. São os meios possíveis, tendo em conta a realidade e o facto de existirem outras ocorrências, não só no distrito, como na região Norte”, salientou.

Segundo o `site’ da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção (ANEPC), para o local estavam mobilizados, pelas 13:30, 482 operacionais e 139 viaturas e nove meios aéreos.

O presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos, disse que este fogo já queimou cerca de 4.000 hectares, principalmente de mato, mas também de algum pinheiro.

No distrito de Vila Real, há um outro incêndio que está a queimar uma área de pinhal no concelho de Mesão Frio. O alerta para este fogo foi dado às 15:02 de domingos e o combate mobiliza 81 operacionais, 21 viaturas e dois meios aéreos.

Face às previsões meteorológicas para os próximos dias, que apontam para um agravamento do risco de incêndio rural, o Governo determinou no sábado a declaração da situação de alerta no continente, que vigora entre as 00:00 de sábado e as 23:59 de terça-feira.

Relacionados

Meteorologia

Mais Meteorologia

Patrocinados