Autarca diz que já arderam 4.000 hectares em Vila Real

Agência Lusa , FMC
22 ago, 12:26
Incêndio em Vila Real (Lusa/ Pedro Sarmento Costa)

Rui Santos frisa estar "preocupado com a possibilidade de reacendimentos"

O presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos, disse que o dia desta segunda-feira vai ser de muito trabalho no incêndio que já queimou 4.000 hectares no concelho, mostrando-se preocupado com a possibilidade de surgirem reacendimentos.

“Temos três frentes de incêndio. A de Vila Pouca de Aguiar está em fase de consolidação, a frente para Mouçós também está em fase de consolidação. A evoluir favoravelmente, mas ainda sem estar em fase de consolidação, temos a frente do Alvão (serra)”, explicou pelas 11:00, num ponto de situação feito aos jornalistas no posto de comando, instalado na aldeia de Benagouro.

Rui Santos disse estar preocupado porque é “expectável que o vento, sobretudo a partir das 15:00, ganhe alguma intensidade” e porque “a temperatura também está a subir”.

“E estamos preocupados com a possibilidade de surgirem reacendimentos”, frisou Rui Santos, que apontou para, numa primeira avaliação, uma área ardida que ultrapassa os 4.000 hectares, principalmente de mato e de pinheiro de regeneração, devido a outros incêndios que afetaram este território em anos anteriores

Segundo o autarca, para o local estavam mobilizados, pelas 11:00, 440 operacionais e 130 viaturas e sete meios aéreos, entre os quais os dois aviões gregos que estão em Portugal ao abrigo do mecanismo de apoio europeu.

“Face ao que é expectável para a tarde mantemos um alerta e o alerta é para que as pessoas se continuem a proteger, não saiam de casa ou só saírem de casa só quando for absolutamente necessário, porque aquilo que vamos dando conta é que há pessoas que querem ver o incêndio e vêm complicar muito a vida a quem tem que fazer o combate”, referiu.

O alerta para o fogo foi dado às 07:00 de domingo, na serra do Alvão, zona da Samardã, e o vento forte e inconstante que se fez sentir empurrou-o em três frentes distintas, tendo atravessado a Estrada Nacional 2 (EN2) e a Autoestrada 24 (A24).

Relacionados

Meteorologia

Mais Meteorologia

Patrocinados