Fogos florestais: homem acusado de oito crimes em Santarém sujeito a apresentações semanais

Agência Lusa , NM
29 ago, 16:21
Incêndio na Serra da Estrela (Nuno André Ferreira/Lusa)

Em tribunal, o réu, que “tem antecedentes policiais e criminais por crimes da mesma natureza”, “justificou os incêndios deflagrados por sofrer de problemas do foro mental”

Um homem de 48 anos detido pela Polícia Judiciária (PJ) em Santarém pela prática de oito crimes de incêndio florestal confessou a sua autoria, tendo o tribunal aplicado a medida coativa de apresentações semanais às autoridades, foi esta segunda-feira anunciado.

Em comunicado, a Polícia Judiciária refere que procedeu à “detenção, fora de flagrante delito, de um homem, de 48 anos de idade, suspeito da prática de oito crimes de incêndio florestal, ocorridos no período de um mês, entre 16 de julho e 16 de agosto deste ano, em zonas próximas da sua residência, na freguesia de Alcanede, em pleno Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros”, no concelho de Santarém.

“Os focos de incêndio terão sido provocados por chama direta, com utilização, nalguns casos, de um acelerante de combustão ou de artefacto retardador, tendo os factos sido praticados na localidade de Covão dos Porcos”, acrescenta a PJ.

O detido, pode ler-se na nota, “justificou os incêndios deflagrados por sofrer de problemas do foro mental”, e “tem antecedentes policiais e criminais por crimes da mesma natureza”.

Presente a primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Instrução Criminal de Santarém, viu-lhe ser aplicada a medida coativa de apresentações semanais.

A detenção foi realizada pela Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo e contou com o apoio do Grupo de Trabalho de Redução de Ignições do Centro.

Relacionados

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados