Piloto português é o primeiro a aterrar um Airbus 340 no gelo da Antártida

24 nov, 12:19

Carlos Mirpuri liderou uma equipa que fez história a bordo de um avião da Hi Fly, uma companhia aérea portuguesa que quer continuar a fazer estes voos no futuro

PUB

Foi um português o primeiro piloto a aterrar um avião Airbus 340 na Antártida. Carlos Mirpuri realizou o feito a 2 de novembro, ao serviço da companhia aérea portuguesa Hi Fly, num voo que demorou cinco horas e que partiu da Cidade do Cabo, África do Sul, fazendo depois o caminho inverso, numa distância total de 2.500 milhas náuticas (4.630 quilómetros).

"Um longo dia para a tripulação, mas a excitação de participar num evento tão singular esteve acima de tudo", afirma Carlos Mirpuri, que assina o comunicado da Hi Fly.

PUB

A aeronave, que transportou 23 passageiros e algumas cargas essenciais, aterrou numa pista com 1,4 quilómetros de profundidade e três mil metros de extensão - construída num local onde existe menos acumulação de neve - suficiente para um avião daquela dimensão.

De acordo com a empresa portuguesa, o voo voltará a ser repetido nos próximos tempos, com o objetivo de levar um pequeno número de turistas, bem como alguns cientistas e carga essencial para continente gelado.

"O avião foi cuidadosamente escolhido para ter um bom desempenho num ambiente extremo", explica a Hi Fly.

PUB
PUB
PUB

O Airbus 340 tem cerca de 75 metros de comprimento e 68 metros de largura, tendo capacidade para transportar perto de 260 passageiros.

Um dia longo e uma operação diferente

A Hi Fly detalha toda a operação, até porque este "não era apenas mais um voo". As condições atmosféricas adversas e a necessidade de perceber quais os equipamentos necessários levaram a uma longa preparação.

Os passageiros chegaram 20 minutos antes da partida, que se atrasou devido à presença de aves na zona da descolagem.

"A última coisa que queremos é um episódio com aves e um potencial dano nos motores", diz Carlos Mirpuri, que acabou por fazer descolar o avião às 08:19 locais.

Perante a situação inédita, a preparação envolveu muitos cuidados. Assim que o avião da Hi Fly começou a descer, um carro presente na pista de aterragem mediu os possíveis pontos de fricção a cada 500 metros: "Estávamos confiantes que tínhamos feito o nosso trabalho de casa", nota a Hi Fly.

Apesar de alguns contratempos, como problemas nos altímetros, provocados pela temperatura exterior, a equipa conseguiu aterrar o gigante na pista branca.

PUB
PUB
PUB

O que é a Hi Fly

Fundada em 2005, a Hi Fly é uma companhia aérea detida pela família Mirpuri. Tem como base operacional o aeroporto de Beja, e opera, sobretudo, em serviços de voos fretados, nomeadamente através de wet lease, modalidade em que a companhia aérea disponibiliza o avião, tripulação e seguro a outra empresa, que lhe vai pagar os serviços prestados.

Carlos Mirpuri, o piloto que fez história, é vice-presidente da empresa, que é dirigida por Paulo Mirpuri, seu irmão mais velho. Ambos têm como hobby a aviação, e foi pela Air Luxor que a família entrou no negócio.

Fundada em 1988, a companhia aérea era um desejo dos dois irmãos. Entrou no século XX como um aparente sucesso e, em 2002, chegou a transportar perto de um milhão de passageiros e a faturar 100 milhões de euros.

Apenas dois anos depois, entrou em falência, num processo de insolvência que se concluiu em 2005, altura em que a Hi Fly entrou em cena.

Na direção da empresa está ainda Sílvia Mirpuri, desde 2005 à frente do departamento de comunicação da empresa.

PUB
PUB
PUB

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.

Tecnologia

Mais Tecnologia