Rússia bane Instagram e Facebook por "extremismos"

21 mar, 14:21
Redes sociais

Decisão tem efeitos imediatos

O Tribunal Distrital de Tverskoi, em Moscovo, baniu oficialmente as redes sociais Instagram e Facebook da Rússia por levarem a cabo atividades que incentivam "extremismos", avança a agência Reuters, que cita a agência de notícias russa TASS. 

Uma decisão que "tem efeitos imediatos" e que surge depois da Meta ter permitido que os utilizadores desejassem a morte de Vladimir Putin e dos soldados russos nas suas plataformas sem que fossem suspensos.

Apesar do Whatsapp também estar na alçada da Meta, não foi abrangido por esta restrição. Até ao momento, a empresa presidida por Mark Zuckerberg ainda não reagiu. 

Recorde-se que a Rússia já tinha bloqueado o Facebook a 4 de março. A decisão partiu do Serviço Federal de Supervisão de Comunicações, Tecnologias de Informação e Meios de Comunicação de Massa, ou Roskomnadzor, o regulador do país, que tomou a medida em resposta a "restrições de acesso aos media russos na plataforma".

Na altura, o Roskomnadzor alegou que tinha registado 26 casos de discriminação contra os media russos por parte do Facebook desde outubro de 2020, entre eles a limitação do acesso a canais estatais como o RT e a agências de notícias como a RIA.

A Rússia lançou a 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia, com forças terrestres e bombardeamento de alvos em várias cidades, um ataque que foi condenado pela generalidade da comunidade internacional.

Segundo a TASS, numa informação divulgada na noite desta segunda-feira, os media russos estão também proibidos de exibir os logotipos da Meta Platforms Inc., empresa que detém o Facebook e o Instagram. 

O anúncio foi feito em comunicado pelo Roskomnadzor, regulador de comunicação russo.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados