Como nasceu a lenda do Fantasma de Kiev, o piloto que teria abatido mais de 40 aviões russos? “As pessoas precisam de mitos, heróis e lendas"

2 mai, 11:28
MiG-29 da Força Aérea da Ucrânia (AP)

Dois meses depois do início da ofensiva russa, a força aérea ucraniana acabou com as dúvidas que restavam acerca da existência do Fantasma de Kiev

Nas primeiras horas do dia 24 de fevereiro, centenas de aviões e helicópteros russos, acompanhados por uma orquestra de explosões, invadiram os céus da Ucrânia, espalhando a morte e o medo. Contra todas as expectativas, e com o passar do tempo, a força aérea ucraniana resistiu contra um inimigo numericamente muito superior e dessa luta nasceu uma lenda: um fantasma sem nome e sem rosto, destinado a salvar a Ucrânia dos invasores.

Reza a lenda que, durante o primeiro mês da guerra da Ucrânia, o “Fantasma de Kiev” abateu mais de 40 aviões da força aérea russa, um número notável, só ao alcance dos maiores pilotos da história.

Com o aumento da resistência ucraniana e uma crescente dificuldade russa em controlar os céus de Kiev, as redes sociais trataram de ampliar os rumores. O piloto sem rosto, alegavam os utilizadores, seria o Major da Força Aérea Stepan Tarabalka, de 29 anos, que pilotava um avião MiG-29.

Contas oficiais dos serviços de segurança da Ucrânia ampliaram ainda mais a crença de que o piloto sem rosto seria real, com publicações de agradecimento ao “Fantasma de Kiev”, chamando-o de um “anjo” que abateu mais de 10 aeronaves russas tecnologicamente mais evoluídas, apenas com o apoio do seu talento.

Mas vários peritos militares colocavam em questão a veracidade destas alegações, referindo que os números alegados estavam longe de ser realistas e, para além disso, não existia qualquer registo visual de uma aeronave ucraniana a abater uma aeronave russa. De acordo com as Forças Armadas ucranianas, ao dia 2 de maio, o exército russo já perdeu 194 aeronaves e 155 helicópteros. Estes valores contrastam com os números avançados pelo analista independente Oryx, que garante que existe apenas a confirmação de 56 aeronaves russas e 39 helicópteros destruídos.

Mito ou propaganda?

A lenda do “Fantasma de Kiev” foi posta ainda mais em causa quando foi confirmado pelas autoridades que o major Stepan Tarabalka perdeu a vida no dia 13 de março, sendo premiado postumamente com o título de “Herói da Ucrânia” pela “proteção do espaço aéreo, valor e coragem”.

Porém, o golpe final veio no dia 1 de maio, quando a Força Aérea ucraniana confirmou nas redes sociais que “a notícia da morte do Fantasma de Kiev está incorreta”, uma vez que o “Fantasma de Kiev” é a incorporação do espírito coletivo “dos pilotos altamente qualificados” que defendem a região da capital. Na publicação, a instituição desmente também o número de vitórias do piloto.  

Para muitos especialistas, a história do “Fantasma de Kiev” foi utilizada pelas Forças Armadas ucranianas para aumentar o apoio da população, numa altura em que todos previam uma vitória fácil das tropas de Vladimir Putin.

"Foi essencial ter essa propaganda, porque as nossas forças armadas são menores e muitos pensaram que não podíamos ser iguais a eles [os russos]. Precisámos disso em tempos de guerra", disse Mikhail Zhirohov, um especialista militar ucraniano, em declarações à televisão britânica BBC.

“As pessoas precisam de mitos, heróis e lendas, para fornecer coesão e significado”, acrescentou.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados