Israel parece ter parado com a tática militar do "roof knocking". Eis o que significa e porque é importante

CNN , Abeer Salman
11 out, 07:41
Prédios reduzidos a pó e ruas viram empilhados de entulho: assim está a Faixa de Gaza passados só três dias (AP)

Apesar do objetivo final de salvar vidas, a técnica é controversa e tem sido criticada por grupos de defesa dos direitos humanos

As Forças Armadas lsraelitas (IDF) aparentemente pararam com o "roof knocking".

O eufemismo descreve uma tática militar desenvolvida pela primeira vez em 2009 e utilizada em vários conflitos desde então.

Como funciona

As forças das IDF alertam os ocupantes de um edifício de que estão a visar a estrutura para um ataque aéreo, lançando uma pequena munição não explosiva no telhado antes de ser executado um ataque maior. O seu objetivo é minimizar as baixas civis, permitindo a evacuação de edifícios onde os grupos militantes mantêm foguetes ou munições escondidos.

Apesar do objetivo final de salvar vidas, a técnica é controversa e tem sido criticada por grupos de defesa dos direitos humanos, que argumentam que o lançamento de uma munição sobre um edifício não deve ser considerado um aviso.

Outros dizem que, mesmo com o aviso, há poucos lugares seguros para os civis irem numa faixa de terra bloqueada. A Faixa de Gaza é pequena, com apenas 140 quilómetros quadrados, e um dos locais mais densamente povoados do planeta. Os civis, incluindo crianças, são frequentemente mortos nos bombardeamentos.

O porta-voz da IDF, o tenente-coronel Richard Hecht, explicou que a distinção entre alvos militares e civis não é tão simples.

"Nos edifícios onde vivem pessoas pode haver um depóstio de armas ou um chefe do Hamas a viver lá", disse.

Médio Oriente

Mais Médio Oriente

Patrocinados