Cinema português de animação soma mais prémios internacionais

Agência Lusa , DCT
18 nov, 15:46
Cinema

De acordo com a Agência da Curta-Metragem, o filme de João Gonzalez soma já pelo menos nove prémios que o tornam elegível para uma nomeação aos Óscares, na categoria de melhor curta-metragem de animação, cuja 'shortlist' é anunciada em dezembro

Os filmes Nayola, de José Miguel Ribeiro, e Ice Merchants, de João Gonzalez, e a desenhadora portuguesa Estrela Lourenço foram distinguidos na quinta-feira no Festival de Cinema de Animação de Manchester, no Reino Unido, anunciou a organização.

Nayola, primeira longa-metragem de animação de José Miguel Ribeiro, recebeu o prémio de melhor filme desta edição do festival que termina hoje.

Desde que foi exibido em maio passado no festival de Annecy, em França, Nayola tem conquistado vários prémios em festivais internacionais de cinema, nomeadamente em Guadalajara (México) e em São Paulo (Brasil).

Produzido pela Praça Filmes e com quase uma década de trabalho de criação e produção, Nayola tem argumento de Virgílio Almeida, a partir de uma peça de teatro de José Eduardo Agualusa e Mia Couto, e a narrativa decorre entre 1995 e 2011, entre o final da guerra civil de Angola e os primeiros anos de paz no país.

"Um conflito tão longo foi o ‘leitmotiv’ para propormos ao espectador um filme sobre o impacto da guerra na vida de três gerações de mulheres da mesma família: Lelena (a avó), Nayola (a filha) e Yara (a neta)”, explicou o argumentista em nota de imprensa.

Em Manchester,Ice Merchants, de João Gonzalez, recebeu o prémio do público.

Ice Merchants é o terceiro filme deste realizador e teve estreia mundial este ano na Semana da Crítica de Cannes, em França, onde foi premiado. Desde então, tem obtido vários prémios em contexto de festivais, nomeadamente na Austrália, México e Croácia.

De acordo com a Agência da Curta-Metragem, o filme de João Gonzalez soma já pelo menos nove prémios que o tornam elegível para uma nomeação aos Óscares, na categoria de melhor curta-metragem de animação, cuja 'shortlist' é anunciada em dezembro.

Numa coprodução com Reino Unido e França, o filme tem como ponto de partida a imagem de uma casa numa montanha, debruçada num precipício. A partir daí, o realizador desenvolveu a história de um pai e um filho, que produzem gelo na casa inóspita onde vivem, e de onde saltam todos os dias de paraquedas para o vender na aldeia, no sopé da montanha.

No festival de Manchester, a desenhadora portuguesa Estrela Lourenço, há mais de uma década a trabalhar em animação, recebeu um prémio de excelência de 'storyboarding' (fase de desenho estrutural) da série de animação "Botbots - Crime and Bun-ishment", para a plataforma Netflix.

Artes

Mais Artes

Patrocinados