Valeu o investimento? Quanto gastou o FC Porto em Portugal na era Conceição

1 fev, 11:53
FC Porto

Dragões gastaram quase 114 milhões de euros em reforços oriundos de clubes portugueses. Uns, como Taremi, justificaram o investimento, outros viraram «flops» e há ainda algumas incógnitas

O FC Porto fechou o mercado de inverno com a contratação de Otávio ao Famalicão, por 12 milhões de euros. Como tem sido habitual nos últimos anos no Dragão, sobretudo desde que Sérgio Conceição assumiu o comando da equipa, os portistas voltaram a reforçar-se dentro do mercado português.

Desde que Conceição é treinador do FC Porto, ou seja, a partir de 2017/18, os dragões já investiram 113,9 milhões de euros* em 24 jogadores contratados a clubes portugueses.

A temporada passada foi aquela em que o FC Porto mais investiu no mercado português, muito por força do valor da transferência de David Carmo. Ainda assim, com a contratação de Otávio, os valores de 2023/24 aproximam-se daqueles que foram gastos em 2022/23.

Nota ainda para a temporada 2017/18, a primeira da era Conceição, onde foram investidos apenas um milhão de euros em reforços, isto devido às dificuldades financeiras que o FC Porto atravessava. Contratado ao Feirense, Vaná chegou ao Dragão nessa época, mas nunca se assumiu nos portistas. Fez 10 jogos, antes de sair em definitivo para o Famalicão, em 2020. Contudo, fez parte das conquistas do campeonato e da Supertaça.

Na temporada seguinte, o FC Porto investiu mais dentro de portas, caçando reforços, sobretudo no Portimonense. Manafá, Paulinho, Ewerton e Rafa Soares chegaram dos algarvios, sendo que apenas o lateral-direito, que até chegou em janeiro, teve rendimento desportivo: fez 130 jogos e conquistou duas Ligas, uma Supertaça e três Taças de Portugal.

De referir ainda que, em 2018/19, o FC Porto contratou Fernando Andrade, avançado brasileiro que fez pouco mais de 20 jogos pelos dragões, mas conseguiu conquistar uma Liga.

Na época seguinte, o FC Porto gastou 7,5 milhões de euros em Mamadou Loum, mas o médio senegalês não teve sucesso no Dragão: atualmente, está emprestado ao Al Raed.

Seguiu-se uma temporada de maior investimento e desta vez com alvos mais certeiros. Mehdi Taremi chegou do Rio Ave e tornou-se uma das principais figuras do FC Porto desde então. Zaidu, Toni Martínez e Cláudio Ramos, que até veio a custo zero, também têm sido úteis aos dragões.

Por outro lado, Nanu e Carraça não se impuseram.

Em 2021/22, o maior investimento foi Galeno, que chegou em janeiro por quase 10 milhões de euros, em virtude da saída de Luis Díaz. Ainda assim, o extremo luso-brasileiro tem feito por merecer esse investimento, sendo titular habitual na equipa.

O mesmo sucede com Fábio Cardoso, que custou pouco mais de dois milhões de euros e é opção regular no eixo central da defesa.

Já Bruno Costa, também oriundo do Portimonense, foi, sobretudo, um jogador de plantel.

A temporada passada representa um investimento avultado no mercado português, isto porque David Carmo custou cerca de 20 milhões de euros, mas o defesa contratado ao Sp. Braga ainda não convenceu na Invicta. Por isso mesmo, foi emprestado ao Olympiakos neste mercado.

Por seu turno, Eustáquio e André Franco, até por terem sido soluções de custo reduzido (cerca de quatro milhões de euros) justificaram o investimento.

Já Samuel Portugal, rendeu 2,5 milhões de euros aos cofres do Portimonense, mas ainda não somou qualquer minuto nas redes azuis e brancas.

Chegamos, então, à presente temporada. O FC Porto investiu cerca de sete milhões de euros em Fran Navarro, destaque no Gil Vicente nas duas épocas transatas. Contudo, o espanhol não convenceu Conceição e marcou apenas um golo nos 10 jogos que disputou. Assim como Carmo, foi cedido ao Olympiakos.

Iván Jaime, por sua vez, pode ser rotulado como incógnita no FC Porto. Reforço sonante no verão, depois de ter sido o melhor jovem da Liga, custou 10 milhões de euros, mas ainda não conquistou a titularidade. Porém, importa sublinhar que Conceição gostar de dar meses para que os jogadores se adaptem e o espanhol esteve lesionado durante um largo período.

Por último, Otávio Ataíde foi apresentado no último dia de janeiro, para colmatar a falta de opções no eixo central da defesa. O tempo dirá se foi uma aposta certeira dos dragões.

Em suma, com Conceição, o FC Porto virou atenções para os clubes portugueses na hora de contratar, tendo tido sucesso em alguns investimentos – Mehdi Taremi é o maior exemplo – embora outros tenham fracassado, sobretudo os primeiros negócios.

Vaná, Paulinho, Yordan Osório, Rafa Soares, Ewerton, Fernando Andrade, Mamadou Loum, Carraça, Nanu, Samuel Portugal, Bruno Costa e David Carmo não justificaram o investimento (45,7 milhões de euros).

Já Manafá, Mehdi Taremi, Zaidu, Toni Martínez, Fábio Cardoso, Galeno, André Franco e Eustáquio justificaram o dinheiro que custaram (39,2 milhões de euros).

Nomes mais recentes como Navarro, Iván Jaime e Otávio ainda são uma incógnita no universo portista.

Os milhões investidos pelo FC Porto em Portugal na era Conceição

2023/24

Otávio Ataíde (Famalicão) - 12 M€

Iván Jaime (Famalicão) - 10 M€

Fran Navarro (Gil Vicente) - 7 M€

TOTAL: 29 M€

2022/23

David Carmo (Sp. Braga) - 20,2 M€

Stephen Eustáquio (Paços de Ferreira) - 4,2 M€

André Franco (Estoril Praia) - 4 M€

Samuel Portugal (Portimonense) - 2,5 M€

TOTAL: 30,9 M€

2021/22

Galeno (Sp. Braga) - 9,9 M€

Bruno Costa (Portimonense) - 2,5 M€

Fábio Cardoso (Santa Clara) - 2,2 M€

TOTAL: 14,6 M€

2020/21

Mehdi Taremi (Rio Ave) - 4,7 M€

Zaidu (Santa Clara) - 4 M€

Toni Martínez (Famalicão) - 3,2 M€

Nanu (Marítimo) - 2 M€

Cláudio Ramos (Tondela) - custo zero

Carraça (Boavista) - custo zero

TOTAL: 13,9 M€

2019/20

Mamadou Loum (Sp. Braga) - 7,5 M€

TOTAL: 7,5 M€

2018/19

Wilson Manafá (Portimonense) - 7 M€

Paulinho (Portimonense) - 3 M€

Yordan Osório (Tondela) - 2 M€

Ewerton (Portimonense) - 2 M€

Rafa Soares (Portimonense) - 1,5 M€

Fernando Andrade (Santa Clara) - 1,5 M€

TOTAL: 17 M€

2017/18

Vaná (Feirense) - 1 M€

TOTAL: 1 M€

*Valores baseados nos dados do Transfermarkt

Relacionados

Patrocinados