Turquia, uma seleção a crescer com Vicenzo Montella

18 jun, 11:18
Turquia (AP)

GRUPO F

Depois de várias temporadas a treinar em Itália – com uma breve passagem por Sevilha -, Vicenzo Montella chegou à Turquia pela porta do Adana Demirspor. Por lá permaneceu durante duas épocas, até que, no decorrer de 2023, assumiu o primeiro desafio como selecionador, sucedendo ao alemão Stefan Kuntz – que fez grande parte da fase de qualificação. A sua entrada surtiu efeito, com destaque para as vitórias na Croácia – que permitiu obter o primeiro lugar do grupo – e na Alemanha – por 2-3, num encontro particular.

O sistema que utilizou foi sempre o 4x2x3x1, pelo que se espera que seja essa a formação tática em que se irá apresentar.

Momento Ofensivo

No início da construção a Turquia dispõe-se numa estrutura entre o 4x2x1x3 e o 4x2x4. Os quatro defesas, em conjunto com dois médios-centro, ficam próximos da área, enquanto o médio mais ofensivo e os três da frente fixam a defesa adversária no meio-campo. Procura sair apoiado e muitas vezes a bola permanece na posse do guarda-redes durante algum tempo, com o objetivo de chamar a pressão de um adversário e, depois, encontrar uma vantagem: é do guardião a responsabilidade de a procurar e tomar uma decisão.

Num bloco mais alto, um dos médios baixa para junto dos defesas centrais – entre eles ou em zona mais exterior -, os laterais ficam responsáveis por assegurar a largura e os extremos pisam terrenos mais interiores. Procuram chegar rapidamente à baliza adversária, são agressivos com bola e juntam objetividade com algum critério. Do meio-campo para a frente têm elementos com criatividade e bons executantes.

A Turquia na primeira fase de construção, com a linha defensiva, mais dois médios no apoio e um médio entrelinhas
Posicionamento padrão com extremos por dentro e os laterais abertos e projetados

Momento Defensivo

Em relação à forma como pressiona, vai alternando entre um bloco subido com pressão forte e um posicionamento médio-alto com uma atitude mais passiva, até pouco depois da entrada da área adversária. Quando opta por pressionar de imediato a saída de bola, adota comportamentos ligeiramente diferentes consoante o número de defesas dos rivais. Caso defronte três centrais, é o médio mais ofensivo quem se junta ao avançado para condicionar e os extremos ocupam-se dos alas/laterais. Se enfrentarem um modelo com apenas dois, o ponta de lança inicia o pressing e, após isso, um dos médios-ala avança para perto de um central.

A defender em bloco médio, mantêm a estrutura habitual em 4x2x3x1. O médio mais defensivo está quase sempre muito próximo da última linha, o que origina um corredor central pouco povoado. São fortes nos duelos, mas tem algumas lacunas no posicionamento. Assim, os espaços que deixam livres e falhas individuais – por exemplo de colocação ou concentração – serão aspetos a explorar pelos seus adversários

A seleção turca posicionada numa 4x2x3x1, com os blocos muito compactos

.

Pressão alta e agressiva, para obrigar o adversário a errar, jogadores próximos da bola marcados individualmente

Jogador Destaque

Hakan Çalhanoğlu. O médio do Inter viu ser-lhe reconhecido talento desde muito jovem e foi correspondendo às expectativas, mas desde a sua chegada ao campeão italiano tem conseguido elevar ainda mais o nível. No conjunto de Simone Inzaghi assumiu uma função diferente daquela a que estava habituado – recuou no terreno, com toda a construção do emblema Nerazzurri a passar pelos seus pés – e que lhe assenta como uma luva. Exímio no passe, ótima visão de jogo, com uma batida na bola espetacular – um perigo em remates de longe – e especialista na cobrança de bolas paradas.

Jogador Promessa

Arda Güler. Há três jogadores com menos de 20 anos na seleção turca que já têm algum destaque e atuam fora do seu país natal: Can Uzun (Nuremberga), Kenan Yildiz (Juventus) e Arda Güler (Real Madrid). Embora possa parecer algo estranho escolher um jogador do clube espanhol e que já custou 20M€ como promessa, a verdade é que teve pouca utilização durante esta temporada. Isso deveu-se, sobretudo, a alguns problemas com lesões e à dificuldade que existe para encontrar o seu espaço num plantel recheado de qualidade. É um criativo, com um pé esquerdo fenomenal, qualidade técnica para dar e vender, imprevisível e sem medo de ir para cima dos adversários.

Mais Lidas

Patrocinados