Sindicato dos Enfermeiros Portugueses convoca greve no privado a partir de 24 de maio

Agência Lusa , AM
9 mai, 09:39
Hospital

No pré-aviso de greve, o SEP informa que estão abrangidos os turnos da manhã e tarde

Enfermeiros que trabalham nos hospitais privados iniciam a 24 de maio uma greve de um mês ao trabalho programado nos turnos da manhã e da tarde, em defesa de aumentos salariais e do avanço do processo negocial.

A greve, com serviços mínimos definidos, é convocada pelo Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) e de acordo com o pré-aviso, divulgado esta quinta-feira, começa às 08:00 de 24 de maio e termina às 24:00 de dia 28 de julho.

Estão abrangidas as unidades e serviços dos grupos Luz Saúde, Lusíadas, CUF, Trofa Saúde, SANFIL e “todas as demais instituições, serviços e unidades privadas de saúde onde é aplicável o Contrato Coletivo de Trabalho” estabelecido entre o SEP e a Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP).

Os enfermeiros exigem o desenvolvimento do processo negocial entre o SEP e a APHP, na sequência proposta e contraproposta negocial apresentadas, aumentos salariais aplicáveis a todos os enfermeiros e a valorização e dignificação da carreira.

No pré-aviso de greve, o SEP informa que estão abrangidos os turnos da manhã e tarde, quando haja, mas “só no período de trabalho programa, sob a forma de paralisação total ao trabalho”, sendo assegurados “serviços mínimos indispensáveis” à “satisfação de necessidades sociais impreteríveis”.

O SEP acrescenta ainda que “só é lícito o recurso ao trabalho dos aderentes à greve quando a prestação de serviços mínimos indispensáveis para ocorrer à satisfação de necessidades sociais impreteríveis não possa ser assegurada por profissionais de enfermagem disponíveis, não aderentes, detentores de qualificação profissional adequada para a prestação de cuidados de enfermagem”.

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados