Von der Leyen avisou os ultra-ricos para os “sinais óbvios” de crise alimentar mundial

Agência Lusa , CV
24 mai, 13:36
Produção de etanol na Europa usa grandes quantidades de trigo

Presidente da Comissão Europeia disse, no Fórum Económico de Davos, que as consequências dos "atos vergonhosos" da Rússia "estão à vista de todos"

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, alertou esta terça-feira para os “sinais óbvios” de uma crise alimentar mundial devido à guerra da Ucrânia, acusando a Rússia de chantagem na retenção de cereais.

“Os sinais de uma crise alimentar crescente são óbvios. Temos de agir com urgência”, declarou a líder do executivo comunitário, discursando no Fórum Económico Mundial de Davos, na Suíça.

Ursula von der Leyen condenou o facto de “a artilharia russa estar a bombardear deliberadamente armazéns de cereais em toda a Ucrânia”, que é um dos países mais férteis do mundo, e que esteja também a “bloquear navios ucranianos cheios de trigo e sementes de girassol”.

“As consequências destes atos vergonhosos estão à vista de todos. Os preços globais do trigo estão a subir em flecha e são os países frágeis e as populações vulneráveis que mais sofrem […] e, ainda por cima, a Rússia está agora a acumular as suas próprias exportações de alimentos como forma de chantagem, retendo os fornecimentos para aumentar os preços globais, ou negociando trigo em troca de apoio político. Isto é usar a fome e os cereais para exercer o poder”, lamentou a responsável.

Precisando que existem cerca de 20 milhões de toneladas de trigo retidas na Ucrânia – sendo que a exportação habitual era de cinco milhões de toneladas de trigo por mês – Von der Leyen defendeu a criação de “vias de solidariedade, ligando as fronteiras da Ucrânia aos portos” europeus, estando Bruxelas a “financiar diferentes modos de transporte para que os cereais da Ucrânia possam chegar aos países mais vulneráveis do mundo”.

“E estamos a trabalhar com o Programa Alimentar Mundial para que os ‘stocks’ disponíveis e produtos adicionais possam chegar aos países mais vulneráveis a preços acessíveis, [sendo que] a cooperação global é o antídoto para a chantagem da Rússia”, adiantou a presidente da Comissão Europeia.

Ursula von der Leyen defendeu, ainda, que “a Ucrânia tem de ganhar esta guerra e a agressão de Putin deve ser um fracasso estratégico”.

Tanto a Ucrânia como a Rússia são importantes fornecedores dos mercados mundiais, especialmente de cereais e óleos vegetais, como trigo, cevada e milho, sendo que Kiev é também responsável por mais de 50% do comércio mundial de óleo de girassol e um importante fornecedor de ração para a UE.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados