Guerra aberta entre Bayern e Alaba: «O clube espalhou mentiras sujas»

16 set 2020, 11:38
Bayern-Hoffenheim (EPA/LUKAS BARTH )

Renovação tem sido marcada por troca de acusações entre representantes do jogador e clube alemão

A renovação de David Alaba com o Bayern Munique tem provocado uma troca de acusações entre os representantes do jogador e a direção do clube bávaro.
O defesa austríaco termina contrato em junho de 2021 e o campeão europeu já iniciou conversas para garantir a sua continuidade. 
 
Nos últimos dias, o antigo presidente do Bayern, Uli Hoeness, criticou a postura de Pini Zahavi, agente de Alaba. «Todos nós queremos que David fique connosco. Mas ele tem uma piranha gananciosa como conselheiro [Zahavi]. Trata-se, realmente, de uma questão de dinheiro. Ele já está no melhor clube do mundo. Tem 28 anos e não se devia deixar influenciar pelo que vem de fora», disse ao canal de televisão Sport 1.
 
Segundo a revista Kicker, o representante do jogador exigiu uma comissão de vinte milhões de euros e um contrato de cinco anos para o jogador, no valor total de 125 milhões de euros.
 
Entretanto, o pai do defesa, George Alaba, veio a público repudiar as declarações do antigo dirigente do Bayern. «Trouxe o David para o Bayern quando ele era jovem. Ao longo dos anos, tive a oportunidade de fazê-lo assinar várias vezes por outro clube, mas fomos leais e sempre decidimos ficar. Não esperava que o clube agora espalhasse mentiras sujas em público sobre as exigências de salários e comissões», assumiu à Sky Sports.
 
Zahavi, por sua vez, assumiu exigir apenas a «comissão habitual. «Não quero receber mais do que os outros representantes que cobraram comissões ao Bayern», atirou.
 
David Alaba está no Bayern Munique desde 2008 e foi uma das peças chaves da equipa que conquistou a Liga dos Campeões, em Lisboa. O próprio jogador emitiu um comunicado no qual afirmou que preferia que o assunto não estivesse a ser tratado publicamente.
 
«Algumas declarações e notícias das últimas semanas deixaram-me perplexo e também me magoaram. Muitas coisas que estão sendo escritas e ditas são simplesmente incorretas e não correspondem à verdade. Gostaria que todas as partes envolvidas renunciassem a uma discussão pública, mesmo que nem todos os detalhes sejam conhecidos», disse.

Patrocinados