Saiba tudo sobre o Euro aqui

Governo diz que recebeu Arsenal do Alfeite sem dinheiro - até teve de fazer um empréstimo para pagar salários

Agência Lusa , AG
25 jun, 16:46
Nuno Melo (António Pedro Santos/Lusa)

Nuno Melo pede que alguma coisa seja feita rapidamente, até porque não há capacidade de gerar receita para cumprir todas as obrigações

O ministro da Defesa Nacional afirmou esta terça-feira que recebeu o Arsenal do Alfeite “tecnicamente falido” e que contraiu empréstimos de cerca de dois milhões de euros para pagar salários e cumprir obrigações fiscais.

“Recebemos um Arsenal do Alfeite tecnicamente falido, com inúmeros navios retidos muito acima do prazo previsto para a sua manutenção, causando um dano grande para o cumprir de missões, para a eficácia da Marinha Portuguesa mas a que teremos de dar resposta”, anunciou o ministro da Defesa Nacional, Nuno Melo, que está a ser ouvido no parlamento numa audição regimental.

De acordo com o centrista Nuno Melo, “alguma coisa tem que ser feita porque neste momento há inclusivamente incapacidade de gerar receita suficiente para pagar salários e obrigações fiscais”.

“Eu acabei de chegar ao ministério e a primeira medida tivemos que tomar foi viabilizar, deferir, pedir, um empréstimo de um milhão e quatrocentos mil euros para pagar salários e obrigações fiscais. Há uma semana tivemos que deferir um outro de 936 mil euros. Nenhum arsenal sobrevive nestas condições”, alertou.

O governante afirmou que o equipamento no Alfeite “é obsoleto, inapropriado para a Marinha do presente”.

Segundo Nuno Melo, o rácio entre operários e administrativos é de “um administrativo para um operário”, salientando que o Alfeite precisa de profissionais qualificados.

O ministro também alertou que os prazos para a finalização de trabalhos não estão a ser cumpridos, dando como exemplo o submarino Tridente que tem 30 anos de vida e vai ficar “três anos parado num estaleiro”, considerando que esta é uma "situação gravíssima”.

O Arsenal do Alfeite já atravessou, no passado, graves problemas financeiros que se chegaram a traduzir em atrasos de salários e até do subsídio de Natal em 2020 aos mais de 400 trabalhadores que constituem esta empresa, responsável pela reparação e manutenção dos navios da Marinha portuguesa.

No ano passado, o presidente do conselho de administração do Arsenal do Alfeite, José Luís Serra, alertou que a empresa tinha instalações e equipamentos com muitos anos, alguns com problemas funcionais e de segurança, realçando, contudo, que em 2022, após seis anos consecutivos de prejuízos, o arsenal fechou o ano com resultados líquidos positivos.

Governo

Mais Governo

Mais Lidas

Patrocinados