"Temos diferentes interpretações" da guerra. Guterres já esteve com Lavrov em Moscovo

26 abr, 11:41

Líder da ONU quer fim da guerra "assim que possível" e frisou que a prioridade é "minimizar o sofrimento humano" na Ucrânia

Durante a reunião desta terça-feira com o ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergei Lavrov, o Secretário-Geral da ONU António Guterres referiu que ele próprio e a Rússia têm "diferentes interpretações" da guerra na Ucrânia, mas que tal "não impede que mantenham conversações".

Citado pela Reuters, Guterres frisou que a prioridade é "minimizar o sofrimento humano" na Ucrânia, garantindo que quer que a guerra termine "assim que possível". O líder da ONU pediu ainda para que todo o mundo faça "tudo o que é possível" para pôr fim ao conflito.

"Estamos também interessados em assegurar que tudo seja feito para minimizar o efeito [da situação na Ucrânia] noutras partes do mundo", disse também Guterres. “Irei a África depois destas visitas, estamos a assistir a um impacto dramático em países que já enfrentam um acesso desigual aos recursos após a pandemia”.

Por seu turno, Lavrov disse a Guterres que pretende abordar o multilateralismo durante o encontro.

"Apreciamos o seu (de Guterres) desejo de, nestes tempos difíceis, começar a pensar seriamente em como o princípio do multilateralismo, que nos últimos anos tem sido francamente contestado pelo Ocidente, será colocado em prática", disse Lavrov, citado pela Tass.

Na segunda-feira, o líder da diplomacia russa tinha alertado para o "perigo" de uma III Guerra Mundial.

"O perigo é sério, é real, não se pode subestimá-lo", disse Lavrov à agência de notícias Interfax, acrescentando que a "operação" em curso na Ucrânia "terminará, é claro, com a assinatura de um acordo". Mas os parâmetros deste acordo, salienta, "serão definidos pelo estado dos combates que se registem no momento em que o acordo se tornar realidade". 

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados