Twitter mergulhado no caos à medida que celebridades, jornalistas e marcas perdem a verificação

CNN , Brian Fung
22 abr 2023, 14:54
Elon Musk, dono do Twitter (Getty Images)

Os utilizadores do Twitter acordaram na sexta-feira de manhã para um caos ainda maior na plataforma do que aquele a que se tinham habituado nos últimos meses sob a direcção do CEO Elon Musk, depois de uma ampla reviravolta nas verificações de contas de marcas, celebridades, jornalistas e agências governamentais.

O fim da verificação tradicional marcou o início de um regime de informação radicalmente diferente no Twitter, destacado por imitações quase imediatas de contas governamentais; a remoção de rótulos anteriormente utilizados para identificar propaganda chinesa e russa; e uma confusão por parte da empresa para verificar individualmente certas figuras de alto nível, como o Papa Francisco.

Uma vasta gama de organizações de meios de comunicação perderam os vistos de verificação de ouro que a equipa do Musk tinha desenvolvido meses antes como alternativa à tradicional verificação da marca, refletindo a aparente recusa dessas organizações em pagar os vistos, que agora custam $1.000 por mês.

Vários utilizadores proeminentes do Twitter, incluindo LeBron James, William Shatner e Stephen King, também se recusaram a pagar para manter os seus vistos de verificação, o que levou Musk a intervir pessoalmente. Parecendo sentir os problemas que poderiam surgir se esses utilizadores não fossem verificados, Musk disse quinta-feira que pagaria do seu próprio bolso para garantir que os perfis de James, Shatner e King continuassem a ser verificados.

Embora algumas das questões possam ser resolvidas nos próximos dias, o impacto mais amplo da mudança tem sido tornar mais difícil para os utilizadores determinar a autenticidade de uma conta e potencialmente minar o papel central do Twitter como centro de notícias. A verificação do Twitter já não é um indicador de que uma conta representa quem afirma representar; em vez disso, reflecte que um utilizador - ou, aparentemente, o proprietário do Twitter - pagou pelo Twitter Blue, o serviço de subscrição da empresa.

Experiências anteriores com mudanças na verificação tinham levado a um caos semelhante, levando o Twitter a adiar o lançamento várias vezes. O Twitter continuou a avançar com a sua estratégia de verificação paga, no entanto, com a esperança de reforçar as receitas das assinaturas após ter visto um declínio acentuado no seu principal negócio de vendas de anúncios.

Após a mudança de quinta-feira ter retirado a verificação da conta oficial do governo da cidade de Nova Iorque, a conta tweetou quinta-feira à noite: "Esta é a conta oficial no Twitter do governo da cidade de Nova Iorque".

Mais tarde, outra conta do Twitter com a mesma imagem de perfil e uma ligeira variação no nome de utilizador da conta oficial respondeu a esse tweet.

"Não, não é", disse a conta falsa. "Esta conta é a única conta autêntica do Twitter que representa e é gerida pelo governo da cidade de Nova Iorque".

Até sexta-feira de manhã, a verificação da cidade tinha sido restaurada com uma marca de verificação cinzenta indicando que se tratava de uma "conta do governo ou de uma organização multilateral". O mesmo tinha acontecido com o Papa Francisco, que também tinha perdido a sua marca de verificação azul na quinta-feira.

Numa mudança aparentemente não relacionada e coincidente, o Twitter também retirou o rótulo de "meios de comunicação social financiados pelo governo" das contas pertencentes à CBC do Canadá e à NPR, tendo esta última abandonado o Twitter por causa do rótulo, porque a NPR disse que este representava erroneamente a independência editorial da organização noticiosa em relação ao governo dos EUA.

O Twitter também removeu as etiquetas "meios de comunicação social estatais" das contas pertencentes à Xinhua News da China e à RT da Rússia.

De acordo com a NPR, Musk retirou todos os rótulos dos meios de comunicação social no Twitter na sequência de uma sugestão do autor Walter Isaacson, que está a escrever uma biografia de Musk. Isaacson, que é verificado no Twitter como subscritor do Twitter Blue, tweetou uma foto de Musk na quinta-feira a partir do site de lançamento da nave espacial SpaceX. O foguetão explodiu em pleno ar.

Relacionados

Tecnologia

Mais Tecnologia

Mais Lidas

Patrocinados