Ucrânia acusa Rússia de ter colocado mais de 94 mil militares nas fronteiras

3 dez 2021, 23:17
Oleksii Reznikov, ministro da Defesa da Ucrânia (AP Images)
Oleksii Reznikov, ministro da Defesa da Ucrânia (AP Images)

As tensões entre a Rússia e o Ocidente têm aumento nas últimas semanas e o ministro Oleksii Reznikov receia que esta acumulação de militares seja um sinal de que "vão invadir"

PUB

O ministro da defesa da Ucrânia acusou, esta sexta-feira, a Rússia de ter colocado cerca de 94.300 militares perto das fronteiras.

As tensões entre a Rússia e o Ocidente têm aumento nas últimas semanas e o ministro Oleksii Reznikov receia que esta acumulação de militares seja um sinal de que "vão invadir".

PUB

"Os nossos serviços de inteligência analisam todos os cenários, inlcuindo os piores. Eles consideram que existe a probabilidade de uma forte escalado de conflito por parte da Rússia. E que o mais provável é que esse momento aconteça no final de janeiro", explicou Reznikov.

Segundo a Associated Press, Moscovo já veio negar as acusações. 

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), Jens Stoltenberg, já avisou a Rússia que haverá "consequências" e um "preço a pagar" se decidir usar a força.

"Deve ficar claro que, se a Rússia usar a força contra a Ucrânia, haverá custos que terão consequências", disse Stoltenberg, numa conferência de imprensa na sede da NATO, em Bruxelas.

PUB
PUB
PUB

A última vez que a Rússia invadiu a Ucrânia foi em 2014. Também nessa altura aumentaram aisgnificatiamente as forças de combate junto à fronteira. 

A região de Donbass, no leste da Ucrânia, atravessa uma guerra desde essa altura, que fez mais de 13.000 mortos entre as forças de Kiev e separatistas pró-russos, que são apoiados pelo Kremlin, apesar da Rússia o negar.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados