Temperaturas na segunda metade de agosto voltam a disparar no sul da Europa

1 ago 2023, 20:11
Calor (AP)

Apesar de estar previsto um início do mês mais chuvoso e ventoso do que o habitual, os últimos 15 dias vão ser marcados pelo regresso de temperaturas acima da média

Portugal até pode não ter sentido os efeitos de um mês de julho que bateu consecutivos recordes de temperatura e que é descrito pelos especialistas como “o mais quente já assinalado”, mas o sul da Europa deve preparar-se para enfrentar uma nova vaga de calor na segunda metade de agosto que promete voltar a bater recordes.

Apesar de estar previsto um início do mês no continente europeu mais chuvoso e ventoso do que o habitual, os últimos 15 dias vão ser marcados pelo regresso de temperaturas acima da média, particularmente entre os países do sul, avança a Bloomberg, que contactou vários especialistas.

As principais regiões afetadas voltam a situar-se no sul de Espanha, Itália e Grécia, onde os termómetros chegaram a registar 48 ºC.

“Agosto é o mês mais quente do ano quer em terra quer no oceano do hemisfério norte, por isso existe a possibilidade de voltarmos a ver ondas de calor em agosto”, sublinhou Samantha Burgess, vice-diretora do serviço europeu Copernicus sobre alterações climáticas.

Julho deste ano foi o mês mais quente alguma vez registado, com a América do Norte, a Ásia e a Europa a serem afetadas por várias ondas de calor. “A temperatura média global excedeu temporariamente o limite de 1,5 ºC acima do nível pré-industrial durante a primeira e a terceira semana do mês (dentro do erro de observação)”, assinalou o Copernicus.

Porém, a situação não será sentida de forma igual na Europa. No norte do continente as temperaturas serão mais amenas e, inclusive, mais baixas - Reino Unido, Alemanha e parte de França devem registar temperaturas mais baixas do que o habitual para esta altura do ano.

Relacionados

Meteorologia

Mais Meteorologia

Patrocinados