Problema de pressurização obriga SpaceX a adiar lançamento do Starship, o maior e mais poderoso foguetão do mundo

17 abr 2023, 15:01
Starship (Foto: Eric Gay/AP)

Primeiro voo de teste do sistema de foguetes da SpaceX foi adiado e só poderá ser retomado daqui a, pelo menos, 48 horas

A SpaceX, de Elon Musk, adiou o lançamento do Starship, o maior foguetão e mais poderoso construído até aos dias de hoje. A equipa revelou que houve um "problema de pressurização" que não foi resolvido a tempo do lançamento. 

"Uma válvula de pressurização parece estar congelada - a não ser que comece a trabalhar em breve, não haverá lançamento hoje", escreveu Musk no Twitter.

 

Deverá levar no mínimo 48 horas até ao próximo lançamento, informou entretanto a SpaceX, citada pela Reuters.

Este seria o primeiro voo de teste do sistema de foguetes Starship, que tem 120 metros de altura quando está totalmente empilhado. É composto por um foguetão, colocado no topo de um propulsor de primeiro estágio Super Heavy, com 33 motores.

O sistema Starship será a grande aposta de Elon Musk para a sua revolução espacial, protagonizada pela Space X - é com o sistema Starship que Musk quer chegar à Lua mas também a Marte.

O sistema de foguetões é mais alto do que a Estátua da Liberdade (que tem 120 metros) e deveria ter sido lançado pelas 13:00, hora de Lisboa, das instalações da SpaceX em Boca Chica, no estado norte-americano do Texas.

Nos minutos finais da contagem decrescente, a SpaceX anunciou que o lançamento seria adiado.

Musk, o fundador e CEO da SpaceX, tinha já admitido que a proabilidade de o lançamento não se concretizar era alta, perante uma audiência num evento privado do Twitter, segundo a agência Reuters.

Um lançamento bem sucedido significará que a SpaceX conseguiu lançar o mais poderoso veículo espacial do planeta. Protótipos da nave do Starship já fizeram cinco voos subespaciais nos últimos anos, mas o propulsor nunca descolou. 

Depois de se separar do foguetão, o propulsor deverá executar um regresso controlado, mergulhando depois no Golfo do México.  

Relacionados

Ciência

Mais Ciência

Patrocinados