PS indica Carlos César, Manuel Alegre e Sampaio da Nóvoa para o Conselho de Estado

Agência Lusa , BCE
21 abr 2022, 18:20
Manuel Alegre

Esta quinta-feira, o grupo parlamentar do PSD apontou também os nomes para o Conselho de Estado: Pinto Balsemão e Miguel Cadilhe

A bancada do PS vai indicar o presidente do partido, Carlos César, o dirigente histórico socialista Manuel Alegre, e o professor catedrático Sampaio da Nóvoa para o Conselho de Estado, disse hoje à Lusa fonte oficial socialista.

À Assembleia da República compete indicar cinco nomes para o Conselho de Estado, o órgão de aconselhamento do Presidente da República, cabendo ao PS três desses nomes.

Os restantes dois nomes, indicados pelos sociais-democratas, são o antigo primeiro-ministro e fundador do PSD, Francisco Pinto Balsemão, e o antigo ministro das Finanças Miguel Cadilhe.

Nas duas anteriores legislaturas, em que o Governo minoritário socialista estava suportado no parlamento pelo PCP, Bloco de Esquerda e PEV, o PS indicou Carlos César, o dirigente histórico comunista Domingos Abrantes e o antigo coordenador bloquista Francisco Louçã.

Desta vez, com os socialistas em maioria absoluta no parlamento, além de Carlos César, o PS convidou Manuel Alegre para regressar ao Conselho de Estado e convidou também para este órgão o ex-candidato presidencial e antigo reitor da Universidade de Lisboa Sampaio da Nóvoa.

Nas últimas eleições legislativas, Sampaio da Nóvoa, que é independente, discursou num dos últimos comícios do PS, em Almada, tendo transmitido um apelo à continuidade de uma governação socialista em Portugal.

As candidaturas para o Conselho de Estado fecham na sexta-feira no parlamento e a eleição far-se-á no próximo dia 29, sendo necessária uma aprovação por dois terços.

PSD indica Pinto Balsemão e Miguel Cadilhe

Esta quinta-feira, o grupo parlamentar do PSD apontou também os nomes para o Conselho de Estado: Pinto Balsemão e Miguel Cadilhe.

Rui Rio deixa assim de integrar o órgão de aconselhamento do Presidente da República.

As duas personalidades indicadas pelo PSD irão integrar uma lista conjunta de cinco nomes (os restantes são indicados pelo PS) e que irão a votos no parlamento em 29 de abril, tendo de obter dois terços dos votos para a sua aprovação.

Relacionados

Partidos

Mais Partidos

Mais Lidas

Patrocinados