Parlamento português aprova voto "de profundo pesar" pela morte de Shinzo Abe e repudia “repugnante ataque”

Agência Lusa , FMC
8 jul, 15:55
Debate parlamentar na Assembleia da República (Mário Cruz/ Lusa)

O projeto de voto foi apresentado por Augusto Santos Silva e aprovado por unanimidade pelos deputados no plenário. O antigo primeiro-ministro japonês foi baleado esta sexta-feira durante um comício

O parlamento português aprovou esta sexta-feira, por unanimidade, um voto de “profundo pesar” pela morte do antigo primeiro-ministro japonês Shinzo Abe, “repudiando as bárbaras circunstâncias” do “repugnante ataque” que o vitimou.

“Faleceu hoje (esta sexta-feira) o antigo primeiro-ministro japonês Shinzo Abe. Tinha 67 anos e morreu em circunstâncias trágicas na sequência de um atentado enquanto participava num comício eleitoral”, pode ler-se no projeto de voto de pesar que foi apresentado pelo presidente da Assembleia da República, Augusto Santos Silva, e aprovado esta sexta-feira por todos os deputados no plenário.

Segundo o texto aprovado, “este repugnante ataque atingiu mortalmente pelas costas o antigo primeiro-ministro de um Estado com quem Portugal nutre uma histórica relação de amizade”.

“Neste momento de dor e tristeza, o Parlamento expressa a sua solidariedade com o povo amigo do Japão, manifestando o seu profundo pesar por esta perda, e repudiando as bárbaras circunstâncias em que ocorreu”, refere.

O parlamento português “expressa o seu profundo pesar pelo falecimento da antigo primeiro-ministro japonês Shinzo Abe, endereçando à sua família e ao Estado japonês as mais sentidas condolências”.

“Shinzo Abe foi chefe do Governo do Japão em 2006 e entre 2012 e 2020, e encontrava-se, no momento do ataque, a participar num comício do Partido Liberal Democrático (PLD) para a campanha das eleições legislativas do próximo dia 10 de julho”, pode ler-se no mesmo texto.

Política

Mais Política

Patrocinados