opinião

A idade

17 mai, 14:46

Notas Soltas

Os homens mais velhos são notáveis. As mulheres mais velhas não o são tanto. A afirmação é minha. Pode ser controversa. Vamos reflectir.

Depois da crise pandémica, é certo que o futuro tornou-se mais frágil. Aceitamos o acréscimo de limitações, mas ao mesmo tempo, evitamos pensar muito sobre o envelhecimento. Dito de outra forma: com a passagem dos anos. 

Nesta matéria, o nosso contexto é mais exigente com as mulheres do que com os homens. Já ouvi actrizes dizerem que depois dos 50 anos têm dificuldade em conseguir trabalho. As mesmas queixas chegam da competitiva indústria de Hollywood.

No mundo da televisão, ninguém questiona a passagem dos anos relativamente aos homens. Já quanto às mulheres, o escrutínio fora e no interior das empresas existe e pode configurar, no limite, uma forma de violência psicológica. 

Vamos à realidade: podemos desafiar o envelhecimento, mas é uma guerra perdida. Façamos o que façamos, o tempo passa e o desfecho espera-nos. Mais cedo para uns do que para outros. Mas acontece. Inevitavelmente. Começamos a envelhecer desde o dia em que nascemos.

Em questões de idade, não há esperança de conquista.

Para mim, ficamos mais bonitos com a idade. Se soubermos, podemos lutar pela nossa beleza, entendermos o que é e vivê-la muito melhor.

Para mim, não existe tal coisa como feia e velha ou feio e velho. Apenas miopia e ignorância.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Colunistas

Mais Colunistas

Patrocinados