O comprimido que promete curar ressacas e reduzir os efeitos do álcool até 70%

CNN Portugal , BMA
5 jul, 21:43
Beber álcool (Getty Images)

Farmacêutica sueca está a melhorar o medicamento há mais de 30 anos tendo alcançado resultados impressionantes, segundo informação divulgada pelo fabricante

Chama-se Myrkl, promete curar a ressaca e reduzir os efeitos do álcool. Desde segunda-feira que é comercializado no Reino Unido e a farmacêutica sueca De Faire Medical, responsável pela sua criação, sublinha mesmo que a sua toma antes do primeiro copo poderá resultar em "até 70% do álcool eliminado do organismo cerca de uma hora depois".

A informação, publicada na revista científica Nutrition and Metabolic Insights, dá conta de um ensaio que envolveu 24 pessoas, divididas em dois grupos. Um grupo tomou placebo e o outro tomou dois comprimidos de Myrkl por dia, durante uma semana, além de acompanhar o pequeno-almoço com um copo de vodka.

Cada voluntário foi sujeito a análises ao sangue e ao teste do alcoolímetro a cada 15 minutos durante a primeira hora e a cada hora durante as cinco horas que se seguiram. Uma semana a tomar este suplemento resultou numa baixa absorção do álcool pelo sangue e parte do metabolismo, de acordo com as conclusões da investigação.

"É o primeiro produto capaz de decompor o álcool", adianta a farmacêutica, que diz estar a desenvolver e melhorar o produto há mais de 30 anos.

Os comprimidos contêm L-cisteína, um aminoácido encontrado, por exemplo, no atum e na aveia, assim como vitamina B12, que é possível encontrar na carne, ovos e leite. Os fabricantes de Myrkl garantem ainda o combate às ressacas ao serem ativadas as bactérias Bacillus subtilis e Bacillus coagulans no intestino antes que o álcool chegue ao fígado. 

Atualmente este suplemento só está disponível online.

"O objetivo de Myrkl é ajudar quem bebe álcool de forma moderada a acordar bem no dia seguinte e alguns ensaios clínicos independentes já comprovaram o quão poderoso é o produto na quebra dos efeitos do álcool", defende a De Faire Medical.

Relacionados

Ciência

Mais Ciência

Patrocinados