Mau tempo: Mais de 700 ocorrências em menos de dois dias

Agência Lusa , MM
29 mar, 14:02
Mau tempo (CARLOS M. ALMEIDA/LUSA)

A maioria das ocorrências esteve relacionada com quedas de árvore, inundações, queda de estruturas e limpeza de vias

A Proteção Civil registou, entre as 00:00 de quinta-feira e as 12:00 desta sexta-feira, 716 ocorrências devido ao mau tempo, tendo a maioria ocorrido nas regiões da Grande Lisboa e Algarve.

O comandante de serviço na Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), José Costa, disse à Lusa que a situação mais complicada ocorreu na quinta-feira à tarde e, entre as 00:00 e as 12:00 desta sexta-feira, registaram-se 58 das 716 ocorrências.

Segundo Jorge Costa, a maioria das ocorrências esteve relacionada com quedas de árvore (304), inundações (157), queda de estruturas (137) e limpeza de vias (92).

O comandante indicou também que as zonas mais afetados pelo mau tempo foram a Grande Lisboa, onde ocorreram 225 ocorrências, seguido do Algarve (72) e Lezíria do Tejo (50).

Segundo a Proteção Civil, na quinta-feira registaram-se no país dois fenómenos extremos de vento, na bacia do Tejo, que afetou os concelhos do Montijo (Setúbal), Moita (Setúbal) e gerando precipitação na margem norte do Tejo, na zona de Lisboa e Silves (Faro).

O fenómeno que ocorreu na bacia do Tejo está a ser analisado pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) pois poderá configurar do ponto de vista técnico um tornado, de acordo com a ANEPC.

Na quinta-feira, o meteorologista Alessandro Marraccini afirmou à Lusa que “por volta das 14:00, uma célula convectiva que fazia parte do sistema frontal que atravessou a costa portuguesa durante a tarde, apresentava uma atividade bastante vigorosa e atravessou a região sul de Lisboa”, acrescentando que o IPMA começou de imediato a receber relatos do fenómeno meteorológico.

Já no final do dia de quinta-feira, pelas 18:20, o concelho de Silves, distrito de Faro, foi afetado por outro fenómeno extremo de vento, que causou “queda de árvores de grande porte, veículos afetados e telhados de habitações afetadas”, segundo a ANEPC.

A tempestade Nelson está a afetar o estado do tempo em Portugal continental, onde até ao domingo de Páscoa, a precipitação será uma constante, segundo o IPMA.

O comandante de serviço na ANEPC disse ainda à Lusa que para hoje as previsões meteorológicas apontam para queda de neve e agitação marítima nas regiões do Norte e Centro, não estando previsto chuva forte.

Meteorologia

Mais Meteorologia

Mais Lidas

Patrocinados