Asfixiados, esmagados, pisados até à morte. Imagens mostram o caos e o terror no estádio na Indonésia

CNN Portugal | CNN , Heather Chen, Raja Razek, Jake Kwon, Kareem El Damanhoury e redação CNN Portugal
2 out, 13:00

CNN INDONÉSIA. Pior tragédia num estádio de futebol nos últimos anos em todo o mundo causa mais de 120 mortos na Indonésia

Pelo menos 125 pessoas morreram após o caos e a violência irromperem durante um jogo de futebol da liga indonésia nas primeiras horas de domingo, de acordo com os meios de comunicação estatais do país, naquele que é um dos desastres num estádio mais mortíferos de todos os tempos em todo o mundo.

Os apoiantes do Arema FC e do rival Persebaya Surabaya, duas das maiores equipas de futebol da Indonésia, entraram em confronto nas bancadas depois de a equipa da casa, o Arema FC, ter sido derrotada por 3-2 num jogo na cidade de Malang, em Java Oriental, de acordo com a polícia.

Agentes de segurança detêm um adepto durante o confronto entre os apoiantes de duas equipas rivais de futebol no Estádio  Kanjuruhan, em Malang, na Indonésia, este sábado à noite, 1 de outubro de 2022. O pânico gerou mais de uma centena de mortes. Foto AP Photo/Yudha Prabowo

Os apoiantes da equipa derrotada “invadiram” o campo e a polícia disparou gás lacrimogéneo, provocando uma debandada que provocou casos de asfixia, segundo disse o chefe da polícia de Java Oriental, Nico Afinta, durante uma conferência de imprensa após o evento.

Entre os mortes contam-se dois agentes da polícia, disse ainda o chefe da polícia, acrescentando que o esmagamento ocorreu quando os adeptos fugiram para uma porta de saída.

Fumo, que será gás lacrimogénio. AP Photo/Yudha Prabowo 

O presidente indonésio, Joko Widodo, também conhecido como Jokowi, ordenou no domingo que todos os jogos da liga fossem suspensos até que as investigações estivessem concluídas.

“Pedi especialmente ao chefe da polícia que investigasse e chegasse ao fundo deste caso”, disse Jokowi num discurso na televisão. “O desportivismo, a humanidade e a fraternidade devem ser mantidos na Indonésia.”

“Lamento esta tragédia e espero que seja a última a ocorrer no futebol indonésio. Não podemos ter mais (disto) no futuro.”

Vídeos filmados dentro do estádio pela noite dentro e partilhados nas redes sociais mostram os adeptos, vestidos de vermelho e azul - as cores da equipa da casa - a invadir o campo e a chocar com as forças de segurança indonésias, que parecem estar a usar equipamento de choque.

Foto  AP Photo/Yudha Prabowo

As imagens de vídeo transmitidas em canais de notícias locais também mostravam imagens de sacos de cadáveres, informou a Reuters.

O fumo, que parece ser gás lacrimogéneo, também foi visto mais tarde em vídeos, que mostram também várias pessoas a serem levadas para um edifício. As autoridades disseram que muitas tinham sido internadas em hospitais próximos, sofrendo de “falta de oxigénio e falta de ar”.

Adeptos carregam um homem ferido. O pânico que se seguiu a ação policial deixou mais de 100 mortos, a maioria deles pisados até à morte, segundo disse a polícia no domingoFoto AP Photo/Yudha Prabowo

 

Um dos piores desastres de estádios da história

Agentes examinam um veículo da polícia destruído. Foto AP Photo/Yudha Prabowo

Localizado em Java Oriental, o Estádio Kanjuruhan é utilizado principalmente para jogos de futebol – tendo uma capacidade total estimada em 38 mil espectadores.

Mas foram emitidos 42 mil bilhetes para o jogo de sábado, de acordo com funcionários do Ministério.

“Tínhamos antecipado (grandes) números e sugerimos que o jogo fosse realizado à tarde, mas continuou [marcado para] a noite”, disse o chefe do ministro indonésio da Segurança, Mahfud MD, numa publicação partilhada nas contas oficiais das redes sociais.

Domingo, dia seguinte à tragédia. Um veículo da polícia destruído no motim no Estádio Kanjuruhan, que levou os agentes da polícia a aparentemente usar gás lacrimogénio. AP Photo/Trisnadi

Mahfud MD acrescentou que o estádio tinha sido “cheio para além da sua capacidade máxima”.

“As nossas propostas não foram satisfeitas. Gostaria também de salientar que os adeptos no terreno eram do Arema FC.”

AP Photo/Trisnadi

Já se registaram problemas anteriores em jogos na Indonésia, com uma forte rivalidade entre clubes por vezes a levar à violência entre os adeptos.

“Todos os jogos de clubes desportivos que competem entre as cidades (na Indonésia) são sempre intensos”, disse o analista de futebol indonésio Dex Glenniza à CNN, que observou que era “proibido” aos adeptos visitarem os estádios uns dos outros.

"(Isto é) a fim de evitar atritos e choques entre adeptos", disse. “Mas ainda há muitos incidentes entre os adeptos, a maioria dos quais fora do campo.”

Uma mulher desaba depois de receber a confirmação de que um parente seu está entre os mortos no motim no estádio. AP Photo/Dicky Bisinglasi
Uma mulher chora depois de ter confirmação de que um membro da sua família morreu na sequência do motim no estádio na indonésia.  AP Photo/Dicky Bisinglasi
AP Photo/Trisnadi

Com a Indonésia pronta a acolher o Campeonato Mundial de Sub-20 da FIFA do próximo ano e a organizar uma candidatura para a Taça Asiática de 2023, há agora um escrutínio global do país.

Os observadores notam que o número de mortos do desastre do Estádio Kanjuruhan ultrapassou o de outros desastres futebolísticos globais, como a tragédia do Estádio Hillsborough em Sheffield, Inglaterra, em 1989, onde 96 adeptos do Liverpool foram esmagados até à morte.

Um homem chora à porta do hospital, ao saber que membros da sua família estão entre as vítimas do motim no final do jogo de futebol da noite anterior. Foto Suryanto/Anadolu Agency via Getty Images

As críticas estão também a crescer em relação à forma como a polícia lidou com o acontecimento no sábado. Numa declaração divulgada no domingo, o grupo de vigilância da Polícia indonésia (IPW) apelou à responsabilização e à “retirada” do chefe da polícia de Malang, Ferli Hidayat.

“Este é o pior acontecimento do futebol indonésio. O chefe da polícia deveria ter vergonha e demitir-se”, disse o IPW.

“O número de mortos deve ser minuciosamente investigado e o Presidente Jokowi deve prestar atenção”, acrescentou.

A advogada dos direitos da Indonésia exilada Veronica Koman, da Amnistia Internacional, condenou a utilização de gás lacrimogéneo por parte da polícia.

“Este exemplo de abuso de gás lacrimogéneo pela polícia é ilegal e equivale a tortura”, afirmou.

“O gás lacrimogéneo é ilegal na guerra - mas porque é que ainda é legal para uso doméstico?”

Pessoas procuram por parentes seus percorendo fotografias das vítimas AP Photo/Dicky Bisinglasi

A Associação de Futebol da Indonésia (PSSI) suspendeu os jogos na próxima semana em consequência da tragédia mortal, e proibiu o Arema FC de receber jogos durante o resto da época.

“O PSSI lamenta as ações dos adeptos do Arema no Estádio Kanjuruhan”, disse o presidente da associação, Mochamad Iriawan, numa declaração emitida no domingo.

Foto Suryanto/Anadolu Agency via Getty Images

E acrescentou que o incidente tinha “manchado o rosto do futebol indonésio”e que eles estavam a apoiar as investigações oficiais sobre o evento.

“Lamentamos e pedimos desculpa às famílias das vítimas e a todas as partes pelo incidente”, disse. “Por isso, o PSSI formou imediatamente uma equipa de investigação e partiu imediatamente para Malang”, acrescentou.

A FIFA, o órgão dirigente internacional do futebol, apresentou as suas condolências às famílias e amigos das vítimas, chamando ao incidente “um dia negro para todos os envolvidos no futebol e uma tragédia para além da compreensão”.

Adeptos do clube local de futebo, o Arema FC, atiram flores do lado de fora do Estádio Kanjuruhan, onde na véspera motins depois do jogo causaram uma tragédia mortal AP Photo/Trisnadi

“Juntamente com a FIFA e a comunidade futebolística global, todos os nossos pensamentos e orações estão com as vítimas, aqueles que foram feridos, juntamente com o povo da República da Indonésia, a Confederação Asiática de Futebol, a Associação de Futebol da Indonésia e a Liga Indonésia de Futebol, neste momento difícil", diz uma declaração do presidente da FIFA, Gianni Infantino.

Persebaya divulgou uma declaração expressando as suas condolências: “A grande família de Persebaya expressa as suas mais profundas condolências pela perda de vidas após o jogo Arema FC vs. Persebaya. Nenhuma vida vale o futebol”.

“Alfatihah pelas vítimas e que à família deixada para trás seja dada força.”

As condolências foram dadas às vítimas e à família, tendo a Premier League inglesa também partilhado uma mensagem de condolências. “Os pensamentos de todos na Premier League estão com aqueles que foram afetados pelos trágicos acontecimentos de ontem à noite no Estádio de Kanjuruhan”.

Flores dispersas à porta do Estádio Kanjuruhan, este domingo. AP Photo/Trisnadi

 

LEIA TAMBÉM
"Ainda estamos a recuperar do choque". Treinador português fala sobre tragédia em estádio
Abel Camará: «Tínhamos sete ou oito pessoas mortas no balneário»
 

Nota: artigo escrito e traduzido a partir de informações recolhidas pela CNN Indonésia, completado e atualizado pela CNN Portugal às 12:30 de domingo, 2 de outubro de 2022.

Relacionados

Desporto

Mais Desporto

Patrocinados