opinião
Diretor TVI Norte

Serguei, o homem do Metalist

30 mar, 19:37

Hoje fomos ao maior centro de acolhimento de refugiados de Lviv. Há menos pessoas, mas as histórias de vida são igualmente terríveis.

Conhecemos o Serguei. Chegou de Karkiv cheio de memórias do clube da terra que teve grandes sucessos nas competições europeias de futebol. Começou por me mostrar um memorável jogo com quatro golos em Madrid. Golos perfeitos numa noite de sonho. Está desolado com o que aconteceu à cidade e nem quer acreditar que não irá voltar em breve à bancada do clube do coração, cheio de sorrisos, para fazer a festa.

Agora está perdido. Não quer ficar num centro de acolhimento e pede-nos para o levarmos à estação de comboios para ir ter com a família.

Quase não tivemos alternativa e o Serguei entrou no nosso carro. Lá fomos.

Na viagem, lágrimas e as canções da resistência. Foi deixando palavras impercetíveis, num desespero que fomos registando, sem dizer praticamente nada.

Na chegada à estação escolheu Dnipro como a próxima paragem. Não tinha dinheiro sequer para o bilhete e quando lhe perguntei se não é perigoso ir para outra cidade no centro da guerra deixou uma resposta desconcertante. Podemos morrer a atravessar a rua, na queda de uma árvore numa tempestade ou até engasgados com a nossa própria saliva. Rematou - tudo é perigoso na vida.

Tem razão: quando se segue uma causa num momento extremo, a razão é coisa que rapidamente se afasta do raciocínio que parece mais lógico.

No mesmo centro de acolhimento conhecemos a Victória. É mais uma mãe que parte sozinha com os filhos. Já não suportava ver as crianças a chorarem sempre que a cidade era bombardeada ou mesmo quando tocavam as sirenes. Parte para Itália, onde tem família. Não acredita num regresso rápido e quer pensar seriamente se esta terra é mesmo um sitio tranquilo para criar os filhos e viver com a família.

Não tenho resposta para nenhum deles, dizendo sempre que os jornalistas só fazem perguntas… mas não é simples dizer qualquer coisa a cada uma destas famílias além de um sentido desejo de sorte e de paz.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Colunistas

Mais Colunistas

Patrocinados