Dois norte-americanos, um canadiano e um sueco mortos pelas forças russas na linha da frente em Donetsk

23 jul, 23:50
Combates em Siversk (Getty Images)

Comandante da brigada que os estrangeiros integravam confirmou as mortes

Dois cidadãos norte-americanos, um canadiano e um sueco foram mortos durante esta semana pelas forças russas na região de Donetsk, avança o jornal Politico, que confirmou a informação com o comandante da brigada onde combatiam estes soldados.

O ataque realizou-se através de um tanque russo que abriu fogo durante uma batalha na linha da frente em Donetsk.

Segundo o comandante dos combatentes, Ruslan Miroshnichenko, os estrangeiros foram nomeados como sendo Luke “Skywalker” Lucyszyn e Bryan Young (os americanos), Emile-Antoine Roy-Sirois (do Canadá) e Edvard Selander Patrignani (da Suécia”.

Os homens estavam ao serviço de uma unidade especial que tenta resistir na região de Donetsk e acabaram por morrer dia 18 de julho em Hryhorivka, perto da cidade de Siversk, para onde tinham sido destacados para tentarem abrandar o avanço russo.

Ruslan Miroshnichenko explicou que os homens tinham assumido "posições de fogo" com o objetivo de neutralizarem as forças russas que estavam a tentar passar o rio no local.

"Conseguiram fazê-lo. Mas no fim da missão foram embuscados por tanques russos", acrescentou o responsável, que detalhou ainda o ataque: "O primeiro bombardeamento feriu o Luke. Os outros três tentaram ajudá-lo, primeiro para o socorrer, depois para o retirar. Um segundo bombardeamento matou-os a todos".

O Departamento de Estado dos Estados Unidos tinha confirmado esta sexta-feira a morte de dois norte-americanos, mas recusou a divulgar os nomes, dizendo ao Politico que estava em contacto com as famílias.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados