"Até hoje, a destruição do A-50 parecia impossível": Ucrânia diz ter abatido avião-espião russo de centenas de milhões de euros

15 jan, 18:39
Beriev A-50 (AP)

Informação foi adiantada em primeira mão pelo chefe do Estado-Maior das Forças Armadas Ucranianas, Valery Zaluzhny, no Telegram

As Forças Armadas da Ucrânia anunciaram esta segunda-feira ter destruído um avião-espião russo, um Beriev A-50, sobre o Mar de Azov, na noite de domingo.

A informação foi adiantada em primeira mão pelo chefe do Estado-Maior das Forças Armadas Ucranianas, Valery Zaluzhny, no Telegram.

"Os guerreiros da Força Aérea das Forças Armadas da Ucrânia destruíram um avião inimigo com radares de longo alcance A-50 e um bombardeiro IL-22”, começou por escrever Zaluzhny, citado pela CNN Internacional, que ainda agradeceu à Força Aérea pela "operação perfeitamente planeada e executada" no sul da Ucrânia.

Yuriy Ihnat, porta-voz da Força Aérea ucraniana, disse mais tarde num post no Facebook que um dos aviões russos visados, o IL-22, conseguiu aterrar, mas ressalvou que os danos serão "irreparáveis".

"Por isso, independentemente da forma como o tentem arranjar, o alvo foi destruído e a reanimação não vai ajudar!", escreveu. "O avião com radares de longo alcance A-50 era e é um alvo prioritário para nós. E até hoje, a destruição deste avião parecia uma tarefa impossível para a Força Aérea."

A Rússia, para já, recusou confirmar a destruição do A-50, com o porta-voz oficial do Kremlin, Dmitry Peskov, a remeter o assunto para o Ministério da Defesa da Rússia, que por sua vez ainda fez qualquer comentário.

O A-50 está ao serviço da Força Aérea Russa desde 1984. De acordo com um relatório do Ministério da Defesa britânico, citado pela BBC, a Rússia tinha ao seu dispor seis destes aviões em fevereiro de 2023, que têm um custo de produção na ordem das centenas de milhões.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados