Portugal oferece asilo à mulher e filhos de ucraniano morto pelo SEF

3 mar, 21:38

Família do ucraniano vive em Lviv e já tinha pedido proteção ao Estado português

A mulher e dois filhos menores de Ihor Homeniuk, ucraniano morto por inspetores do SEF no aeroporto de Lisboa em 2020, já viram o Estado português oferecer-lhes um salvo conduto para que possam viver em a Portugal, com autorização de residência, caso consigam sair do seu país e chegar à Polónia, apurou a CNN.

A oferta de ajuda do governo português chegou esta quinta-feira à viúva do imigrante assassinado através de um contacto do Ministério da Administração Interna com o advogado da família, sabe a CNN.

A morte de Ihor Homeniuk em março de 2020 à guarda do SEF motivou uma crise política, a que se seguiu uma reestruturação deste serviço, que o ministro da Administração Interna da altura, Eduardo Cabrita, justificou estar há muito prevista no programa do Governo.

Europa

Mais Europa

Patrocinados