Dois menores filhos de cidadão português entre os 11 reféns libertados pelo Hamas

27 nov 2023, 20:36
Cartaz pede a libertação da família Calderon (Ahmad Gharabli/Getty Images)

Erez e Sahar Calderon foram raptados a 7 de outubro com o pai. A avó das crianças morreu durante o ataque

Dois menores filhos de um cidadão de nacionalidade portuguesa foram libertados esta segunda-feira, depois de o Hamas ter libertado mais 11 reféns israelitas.

Erez Calderon e Sahar Calderon, de 12 e 16 anos, fazem parte dos 11 reféns libertados pelo Hamas no quarto dia de cessar-fogo.

Estes dois menores são filhos de Ofer Calderon, cidadão de 53 anos que obteve a nacionalidade portuguesa já depois de ter sido raptado pelo Hamas, a 7 de outubro, quando estavam no kibbutz de Nir Oz.

A Comunidade Israelita do Porto (CIP) confirmou, em comunicado, que os dois menores fazem parte da troca, sendo que também o governo israelita confirmou os nomes de Erez e Sahar Calderon como estando na lista de reféns libertados.

A CIP refere que os menores foram libertados por também terem nacionalidade francesa, adquirida por descendência da mãe, Hadas Dan, que está em Israel à espera da família.

Sahar Calderon (cortesia da família à agência Associated Press)

No dia em que os menores e o pai foram raptados de Israel os combatentes do Hamas mataram Carmella Dan, avó materna das crianças. Também uma prima dos menores, Noya, de 12 anos, foi morta durante o ataque ao kibbutz onde estava a família.

Ofer Calderon é filho de David Calderon, um judeu de descendência sefardita e que, por isso, tem direito à obtenção de nacionalidade portuguesa.

Ofer Calderon e o filho Erez (cortesia da família à agência Associated Press)

Depois da libertação de Alma e Noam Or, menores filhos do também português Dror Or, esta é mais uma libertação a envolver cidadãos com ligações a Portugal.

Esta foi a quarta troca de reféns e prisioneiros após a entrada em vigor, na sexta-feira, do acordo entre Israel e o Hamas, que inclui uma trégua de quatro dias e a entrada de ajuda humanitária na Faixa de Gaza.

Nos primeiros três dias desde o início do entendimento, foram libertados 58 reféns mantidos em cativeiro na Faixa de Gaza e 117 palestinianos que estavam em prisões israelitas.

Este acordo foi prorrogado esta segunda-feira por mais dois dias, conforme anunciado tanto pelo grupo islamita como pelo governo do Catar, um dos mediadores juntamente com o Egito e os Estados Unidos.

Em paralelo vão ser libertados três mulheres e 33 crianças das prisões israelitas. O Serviço Prisional Israelita explicou que os presos libertados vão ser transferidos para a prisão de Ofer, perto da cidade de Betunia, na Cisjordânia, e de lá serão levados pela Cruz Vermelha para diferentes postos de controlos militares israelitas.

Este mecanismo surge depois de terem sido registados incidentes durante os quais vários palestinianos que foram testemunhar as libertações sofreram ferimentos tanto por tiros disparados pelas forças de segurança israelitas como pelo gás lacrimogéneo utilizado para os dispersar.

Médio Oriente

Mais Médio Oriente

Patrocinados