Polónia
17:00
0 - 0
Áustria

Consulado de Portugal em São Paulo foi ao hospital das gémeas para fazer cartões de cidadão

7 jun, 22:35

Ministério agora liderado pelo social-democrata Paulo Rangel recusa esclarecer se este é um procedimento normal e como pode ser conseguido junto de um consulado

Representantes do consulado português em São Paulo foram ao hospital onde estavam internadas as gémeas luso-brasileiras, em 2019, antes da viagem para Portugal. O objetivo foi iniciar o processo para fazer os cartões de cidadão. 

A descrição da visita está num e-mail escrito pela família e entregue à Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS). Esta mensagem junta-se a outra, escrita pelo filho de Marcelo ao pai, cerca de um mês depois, a dizer que deu uma ajuda para obter os cartões de cidadão das crianças. 

O e-mail de Nuno Rebelo de Sousa e da esposa, revelado em janeiro pelo Exclusivo da TVI, dizia que ele e um grupo de amigos tinham estado, “nas últimas semanas”, “100% focados tentando ajudar a conseguir os cartões de cidadão portugueses, o que já está".

Apesar de questionados, Nuno Rebelo de Sousa e a família das crianças não deram qualquer resposta às questões sobre o tipo de ajuda dado pelo filho de Marcelo. 

Agora, no novo e-mail enviado em 2019 a um escritório de advogados, a que a TVI, do mesmo grupo da CNN Portugal, teve acesso, a família descreve que "representantes do consulado português no Brasil foram ontem ao hospital ver as meninas para iniciar os trâmites burocráticos para a emissão do cartão de cidadão, e na data de hoje para nossa grata surpresa já recebemos os números de registo delas". 

Olhando para as datas, o consulado foi ao hospital 10 dias depois da nacionalidade portuguesa das gémeas ser confirmada nos registos centrais em Portugal. 

Governo recusa dar explicações

A TVI contactou o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE), agora liderado por Paulo Rangel, que recusou dar qualquer explicação, dizendo que os dados sobre as gémeas serão enviados em primeiro lugar à Comissão Parlamentar de Inquérito. 

O cônsul em São Paulo, em 2019, Paulo Jorge Nascimento, também recusou dar qualquer explicação, remetendo para aquilo que já disse ao Ministério. 

Sem respostas das fontes oficiais que podiam explicar aquilo que se passou, a TVI contactou várias fontes diplomáticas ou com experiência no MNE.

Algumas dessas fontes nem sabiam que seria possível os representantes de um consulado deslocarem-se a um hospital para iniciar os trâmites para fazer um cartão de cidadão.

Um cônsul explicou, contudo, que já o fez no passado com idosos internados a precisar da identificação portuguesa. A mesma fonte indica que a ida ao hospital com um equipamento deste tipo teria de ser sempre autorizada pelo cônsul que, segundo as fotografias presentes em sucessivas revistas da Câmara Portuguesa de São Paulo, presidida por Nuno Rebelo de Sousa, era presença assídua em eventos ao lado do filho do Presidente da República. 

Relacionados

Partidos

Mais Partidos

Patrocinados