Sánchez admite reconhecer estado da Palestina, mas só em conjunto com outros países

CNN Portugal , HCL
17 mai, 13:38
Pedro Sánchez (EPA)

Chefe de governo afirmou esta sexta-feira que Madrid apenas reconhecerá Palestina como estado numa decisão conjunta com outros países

O presidente do Governo espanhol, Pedro Sánchez, admitiu esta sexta-feira reconhecer o Estado palestiniano, mas só através de um reconhecimento conjunto, que estará a ser orquestrado com outros países. Sánchez adiantou que, na próxima quarta-feira, dia 22, “estará em condições” de anunciar a data em que ocorrerá o reconhecimento.

Numa entrevista à La Sexta, Sánchez explicou que o seu Governo mantém “erguida a bandeira da solução de dois Estados”, Israel e Palestina, e reiterou que, tal como tem afirmado nos últimos meses, Espanha reconhecerá o Estado palestiniano em breve. No entanto, sublinhou que não será na próxima terça-feira. “Estamos a coordenar-nos com outros países para um reconhecimento conjunto”, disse. “Estou à espera [da resposta desses outros países] e tenho de discutir isso com o meu parceiro de Governo [Sumar, a formação liderada por Yolanda Díaz]”, acrescentou.

Nos últimos meses, Espanha tem trabalhado em conjunto com os governos da Irlanda e da Eslovénia numa tentativa de que a comunidade internacional dê o passo no reconhecimento do Estado palestiniano.

Questionado sobre se, na sua opinião, Israel está a cometer um genocídio em Gaza, Sánchez não revelou a sua “visão pessoal”, afirmando que será o Tribunal Internacional de Justiça da ONU a determinar essa questão. No entanto, foi claro ao afirmar que não tem dúvidas de que estão a ser violados os direitos humanos.

Além disso, considera que a “morte indiscriminada de mulheres e crianças e a destruição sem precedentes em Gaza” não enfraqueceram o Hamas nem proporcionaram maior segurança a Israel.

Europa

Mais Europa

Patrocinados