"Toda a gente sabe onde está o meu coração". Santana Lopes aberto a regresso ao PSD e com a mira apontada a Costa: "Em matéria de descaramento ninguém ganha ao PS"

3 mar, 13:24

Antigo primeiro-ministro disse que Costa foi “deselegante” quando, no comício de apoio a Pedro Nuno Santos, criticou um a um os antigos dirigentes do PSD. E lançou-lhe uma bicada: “Há quem saia de primeiro-ministro e vá fazer pós-graduações em universidades privadas quando são defensores do ensino público”

Pedro Santana Lopes, ex-primeiro-ministro e autarca da Figueira da Foz, arrancou para a campanha da Aliança Democrática este domingo com um alvo concreto: o discurso de António Costa no dia anterior em que criticou um a um os últimos líderes do PSD. Sobre o primeiro-ministro demissionário, Santana Lopes encontrou uma rima: “Há uma coisa que sempre acontece, em matéria de descaramento ninguém ganha ao PS”.

Depois de um café numa curta arruada na Figueira da Foz, Santana Lopes sublinhou que o que Costa disse dos antigos líderes sociais-democratas foi “deselegante”. “Nenhum dos antigos líderes do PSD e do CDS fugiu a dizer que vinha aí o pântano, nem nenhum pediu intervenção externa, nem nenhum saiu por peripécias passadas no seu gabinete. Saímos, ganhando ou perdendo com honra e isso é o principal”.

À chegada ao estabelecimento onde iria tomar café com Luís Montenegro, Santana Lopes abordou também a sua vontade de regressar ao PSD - partido de que se desfiliou para formar o Aliança. Disse que, como independente a exercer um mandato na câmara da Figueira da Foz, está impossibilitado de voltar. De qualquer forma, apontou, “toda a gente sabe onde está o meu coração”.

Luís Montenegro (à esquerda), Nuno Melo (ao centro) e Pedro Santana Lopes (à direita). Fotografia de Tiago Petinga/LUSA

O autarca da Figueira da Foz mencionou ainda o facto de Costa ter voltado à faculdade, tendo-se inscrito numa pós-graduação na Universidade Católica de Lisboa. “Há quem ponha os filhos em escola privada, defendendo a escola pública. E há quem saia de primeiro-ministro e vá fazer pós-graduações em universidades privadas quando são defensores do ensino público”, criticou.

Depois, o antigo primeiro-ministro assumiu um elogio público a Montenegro, destacando que o candidato “afirmou-se de forma impressionante”.Manda, lidera e comanda, tem carisma para dar e vender” e referiu que “ninguém tem dúvidas de que vai comandar os destinos de Portugal.”

"Não foi há muito tempo que a grande maioria das pessoas puseram em causa o seu carisma e a sua capacidade. É uma coisa que hoje em dia toda a gente reconhece, que ele lidera", acrescentou.

Já depois de Santana, Luís Montenegro também abordou as críticas aos seus antecessores por António Costa. Esse ataque, disse, “não acrescentou nada da perspetiva de futuro que temos na campanha”. E questionado sobre se ficou desmoralizado com o apoio a Pedro Nuno Santos no comício deste sábado, apontou que também ele tem tido salas cheias. “ Ontem estive em salas sucessivas com milhares de pessoas e com 20 km de distância entre elas”.

Relacionados

Decisão 24

Mais Decisão 24

Mais Lidas

Patrocinados