"The Crown" está a chegar, mas já muito se fala da série documental da Netflix sobre os duques de Sussex

CNN , Análise por Lauren Said-Moorhouse e Max Foster
29 out, 21:00
O duque e a duquesa de Sussex em Dusseldorf, Alemanha, no dia 6 de setembro para ajudar a ‘dar o pontapé de saída’ do evento One Year to Go dos Jogos Invictus

Para uma série que tecnicamente nunca foi anunciada, muito se fala sobre a próxima série documental acerca dos duques de Sussex.

Tudo começou quando o site da indústria de entretenimento, Deadline, anunciou que a Netflix havia ficado "perturbada" com as críticas à próxima temporada de "The Crown" e, como resultado, o serviço de streaming decidiu alegadamente adiar o lançamento do programa sobre os Sussex de dezembro para o próximo ano.

A última temporada de "The Crown", que estreia a 9 de novembro, está agora a chegar à década de 1990, uma década manifestamente tumultuosa para a família, na qual ocorreu o fim de três casamentos reais e a opinião pública sobre os Windsor decaiu.

Muitos criticaram a decisão da Netflix de lançar a nova temporada tão pouco tempo depois do falecimento da Rainha Isabel II, afirmando ser uma atitude insensível. E o antigo primeiro-ministro britânico, John Major, interpretado na próxima temporada por Jonny Lee Miller, afirmou que se trata de "ficção prejudicial e maliciosa".

Outros meios de comunicação posteriormente contestaram o atraso no anúncio do documentário. O jornal britânico “Telegraph” citou amigos dos Sussex que insistiram que ainda estrearia em dezembro.

Os Sussex foram acompanhados por uma equipa de filmagens durante uma visita a Haia, nos Países Baixos, em abril. (Max Mumby/Indigo/Getty Images)

Seja qual for a verdade sobre a data de lançamento da série documental, parece que a Netflix ficou desagradada com a reação negativa à mais recente temporada de "The Crown". Uma fonte próxima do serviço de streaming disse à CNN: "Eles estão muito desconcertados.”

Não é de admirar. A mais recente temporada foi filmada antes da morte da Rainha Isabel II, o que mudou consideravelmente o contexto. "Houve a tragédia da morte da Rainha, a temporada mais controversa da série de 'The Crown' estava prestes a sair e um novo Rei iria ser coroado. Tudo isto poderia ser realmente nefasto", disse a fonte.

Parte do problema, acrescentou a fonte, é que a mais recente temporada lida com eventos que estão presentes na memória viva, com participantes que ainda estão vivos e sabem bem qual é a realidade. "Quando temos Winston Churchill a ter uma conversa fictícia com uma secretária fictícia, ninguém se importa. Mas no momento em que temos pessoas – pedras basilares da sociedade britânica – ainda vivas e capazes de verificar os factos, então, temos um problema."

A CNN contactou a Netflix, mas não obteve qualquer resposta até ao momento em que este artigo foi escrito.

Toda a história em torno da série documental dos Sussex tem estado envolta em mistério. É do conhecimento público que Harry e Meghan assinaram um acordo de produção de vários anos com a Netflix há alguns anos, mas a série não foi oficialmente anunciada pelo serviço de streaming como foram anunciados outros projetos em desenvolvimento.

Contudo, numa entrevista recente, a duquesa confirmou que a série estava, de facto, a ser produzida.

Meghan disse que a série documental está a cargo da cineasta Liz Garbus, e disse à “Variety” que “foi bom poder confiar a nossa história a alguém, uma realizadora experiente cujo trabalho admiro há muito tempo".

O duque e a duquesa de Sussex em Dusseldorf, Alemanha, no dia 6 de setembro para ajudar a ‘dar o pontapé de saída’ do evento One Year to Go dos Jogos Invictus (Ramona Rosales for Variety)

Ela também disse: "É interessante. O meu marido nunca trabalhou nesta indústria. Para mim, tendo trabalhado em 'Suits', é muito bom estar perto de tanta energia criativa, ver como as pessoas trabalham juntas e partilham os seus pontos de vista. É muito divertido."

No entanto, a duquesa também deu a entender que há elementos do projeto que estão fora do controlo dela e do marido. "Estamos a confiar a nossa história a outra pessoa, o que significa que será retratada pela ‘lente’ dela", revelou Meghan.

Também é importante referir que ainda estamos à espera do tão aguardado livro de memórias de Harry – esperado algures no outono – que pode muito bem aumentar os níveis de ansiedade dos funcionários da casa real.

É pouco provável que a família real ou o Palácio de Buckingham teçam comentários sobre qualquer um dos programas da Netflix. A política de longa data tem sido não comentar retratos ficcionais dos Windsor.

Mas o desafio para a realeza é a gestão das consequências de séries como estas, especialmente quando há uma possibilidade muito real de isso afetar a perceção internacional da família. Esta é uma nova monarquia e um teste para o rei Carlos III, e poderá chegar a um ponto em que ele sinta a necessidade de abordar o assunto.

Séries

Mais Séries

Patrocinados