EUA acreditam que a Rússia está na posse de drones iranianos

CNN , Natasha Bertrand
31 ago, 09:00
Uma delegação russa visitou um aeródromo no centro do Irão pelo menos duas vezes no último mês para examinar os drones armados, segundo o conselheiro de segurança nacional, Jake Sullivan, e as imagens de satélite obtidas exclusivamente pela CNN

Os EUA estimam que a Rússia está agora na posse de drones armados iranianos, que irão provavelmente ser usados no campo de batalha na Ucrânia, disseram funcionários da administração Biden à CNN.

Os russos foram buscar os drones a um aeródromo iraniano no início deste mês e levaram-nos para a Rússia em aviões de carga em meados de agosto, segundo as autoridades.

As autoridades russas começaram a treinar com os drones no Irão no final do mês passado - como a CNN havia noticiado - e os EUA acreditam agora que a Rússia comprou e transferiu os drones da série Mohajer-6 e Shahed (o Shahed-129 e o Shahed-191) para a Rússia, provavelmente para serem usados na guerra na Ucrânia.

Ambos os tipos de UAV, ou veículos aéreos não tripulados, são capazes de transportar munições guiadas com precisão e podem ser utilizados para vigilância. Os operadores russos ainda estão a treinar com os drones no Irão, segundo as autoridades, e os EUA acreditam que a Rússia pretende importar centenas deles para usar em ataques aéreos, na guerra eletrónica e em alvos na Ucrânia.

O The Washington Post foi o primeiro a avançar que os drones tinham sido transferidos para a Rússia.

O uso dos drones iranianos - que também podem ser utilizados para vigilância - poderá ter um impacto significativo no campo de batalha, uma vez que a Rússia procura atenuar o impacto dos Sistemas de Foguetes de Artilharia de Alta Mobilidade (HIMARS) que os EUA e os seus aliados forneceram à Ucrânia. Os HIMARS têm um alcance de 80 quilómetros e permitiram à Ucrânia atacar alvos atrás das linhas da frente russas.

Os serviços secretos norte-americanos acreditam, no entanto, que quando forem testados, será detetado que muitos dos drones que a Rússia comprou ao Irão já haviam sofrido inúmeras falhas, pelo que não é claro o quão eficazes serão para os russos quando forem lançados.

A administração Biden começou a alertar em julho que a Rússia estava a tentar comprar os drones no meio de uma grave escassez de abastecimento de produtos decorrente da guerra na Ucrânia e das sanções ocidentais, que impediram novos esforços de produção. Imagens de satélite reveladas nesse mês mostraram que uma delegação russa tinha visitado um aeródromo no centro do Irão pelo menos duas vezes desde junho para examinar drones armados.

A notícia das transferências de drones surge quando a administração Biden expressou um otimismo cauteloso quanto a um possível acordo para reavivar o acordo nuclear iraniano.

Os detratores do acordo dizem que um novo acordo resultará num alívio das sanções para o Irão e, por sua vez, num ganho financeiro que poderá permitir as atividades perniciosas do Irão em toda a região e não só.

No entanto, os funcionários da Casa Branca insistiram que a decisão de reentrar no acordo nuclear apenas deve ser motivada pela necessidade de impedir o Irão de obter uma arma nuclear, e não deve ser influenciada por ações iranianas que se enquadram fora do âmbito do seu programa nuclear.

Relacionados

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados