Com que frequência deve lavar os seus lençóis de cama? Com mais do que pensa

CNN , Manal Mohammed
15 ago, 11:05
Lençóis brancos

Os lençóis de cama podem ficar repletos de bactérias e outros germes. Eis o que deve fazer.

Manal Mohammed é professor de microbiologia médica na Universidade de Westminster. Os pontos de vista expressos neste comentário são unicamente os dos autores.

Não há nada como entrar numa cama, embrulhar-se nos cobertores e aninhar a cabeça no travesseiro. Mas antes de ficar demasiado confortável, talvez queira saber que a sua cama não é assim tão diferente de um placa de petri [recipiente usado em laboratórios por exemplo para analisar micro-organismos].

A combinação de suor, saliva, caspa, células mortas de pele e até partículas de comida fazem dela o ambiente ideal para o crescimento de toda uma série de germes, tais como bactérias, fungos, vírus e até de pequenos insectos.

Eis algumas das coisas que se escondem por baixo das nossas roupas de cama.

A sua cama pode hospedar bactérias

As nossas camas podem ser um anfitrião para uma grande variedade de espécies de bactérias.

Por exemplo, a investigação que se debruçou sobre as roupas de cama dos hospitais descobriu que as bactérias Staphylococcus eram comuns. Estas bactérias são tipicamente inofensivas, mas podem causar doenças graves quando entram no corpo através de uma ferida aberta - e certas espécies de Staphylococcus podem causar mais estragos do que outras.

Peguemos no exemplo do Staphylococcus aureus, que é bastante contagioso e pode causar infecções de pele, pneumonia e agravar a acne. Não só se descobriu que o Staphylococcus aureus vive em fronhas de almofadas, como a investigação também mostra que algumas estirpes são resistentes aos antibióticos.

A investigação também mostra que, juntamente com o Staphylococcus, E. coli e outras bactérias semelhantes, conhecidas como bactérias gram-negativas, são também comuns em camas hospitalares. As bactérias gram-negativas são um grave problema de saúde, pois são altamente resistentes aos antibióticos e podem causar infecções humanas graves - incluindo infecções urinárias, pneumonia, diarreia, meningite e septicemia, se entrarem no corpo. Algumas estirpes de E. coli também podem ser muito infecciosas, e podem causar infecções urinárias, diarreia do viajante e pneumonia. É por isso que é importante lavar bem as mãos após a utilização da sanita, para evitar a transferência desta bactéria para outras partes da sua casa.

É claro que os hospitais são muito diferentes do nosso ambiente em casa. Mas isso não significa que não seja ainda possível que estas bactérias entrem nas nossas camas. Na realidade, cerca de um terço das pessoas transportam Staphylococcus aureus nos seus corpos. As pessoas que o transportam podem libertar o organismo em grandes números - o que significa que seria bastante fácil para as bactérias Staphylococcus serem transferidas para a sua cama em casa.

As camas podem atrair insectos

Você derrama cerca de 500 milhões de células de pele por dia - enquanto dorme na cama. Estas células cutâneas podem atrair e serem comidas por ácaros microscópicos. Estes ácaros e os seus excrementos podem desencadear alergias e até mesmo asma.

Os percevejos de cama também podem ser um perigo. Embora estes pequenos insectos (de cerca de cinco milímetros de comprimento) não tenham demonstrado transmitir doenças, eles podem causar marcas de picadas vermelhas que fazem comichão - juntamente com uma variedade de efeitos na saúde mental, incluindo ansiedade, insónias e alergias.

Os percevejos de cama podem ser levados para casa em superfícies macias, tais como roupas ou mochilas, ou por outros membros da família.

Lavar e secar roupa de cama a alta temperatura (cerca de 55℃) matará os ácaros, mas os percevejos de cama podem precisar de ser exterminados profissionalmente.

Germes domésticos

Você pode também trazer germes para a cama a partir de artigos domésticos contaminados - tais como roupa, toalhas, da casa de banho, superfícies de cozinha ou mesmo de animais de estimação.

Toalhas de casa de banho e de cozinha são hospedeiras de várias espécies de bactérias, incluindo Staphylococcus aureus e E. coli. Uma lavagem inadequada pode também propagar estes germes a outros artigos -- incluindo os nossos lençóis de cama. Mesmo doenças como a gonorreia podem ser transmitidas através de toalhas ou lençóis contaminados.

Diferentes espécies de micróbios sobreviverão em tecidos durante diferentes períodos de tempo. O Staphylococcus aureus, por exemplo, pode sobreviver durante uma semana em algodão e duas semanas em tecido turco. E as espécies fúngicas (tais como Candida albicans, que podem causar candidíase oral, infecções urinárias e infecções genitais e vaginais) podem sobreviver em tecidos durante até um mês.

Os vírus da gripe também podem sobreviver em tecidos e lenços durante 8 a 12 horas. Alguns outros tipos de vírus, tais como o vaccinia virus, podem viver na lã e no algodão até 14 semanas.

Higiene da cama

Uma lavagem regular e adequada é a chave para garantir que os germes não se transformem numa verdadeira ameaça para a saúde. Mas com que frequência se deve mudar a roupa de cama?

Uma vez que não podemos lavar os nossos lençóis todos os dias, uma coisa deve fazer diariamente é arejar os seus lençóis todas as manhãs. Uma vez que a humidade se acumula neles enquanto dormimos, puxar os lençóis ou o edredão para trás, para que possam respirar, antes de fazer a cama, significará que os seus lençóis e colchão se tornam um local menos atractivo para bactérias e ácaros se aninharem.

Os colchões também podem ser uma grande fonte de bactérias e micróbios, devido à acumulação de flocos de pele, partículas de comida e fungos ao longo dos anos. Uma vez que é difícil lavar um colchão, utilizar uma cobertura lavável - e lavá-lo todas as semanas ou de duas em duas - pode ajudar a reduzir o número de micróbios que ali vivem. Aspirar o colchão e a base da cama todos os meses ajudará também a remover os alergénios e o pó. Vire o seu colchão frequentemente -- ou obtenha um novo se ele tiver mais de dez anos.

Recomenda-se lavar a roupa de cama todas as semanas (ou mais frequentemente, se possível) -- especialmente se passar muito tempo na cama, dormir nu, ou transpirar muito à noite. Recomenda-se também que as fronhas das almofada sejam mudadas de dois em dois ou de três em três dias.

Todas as roupas de cama devem ser lavadas em temperaturas quentes a altas (cerca de 40℃ a 60℃), a fim de matar eficazmente os germes. Evite sobrecarregar as máquinas de lavar roupa e use sabão ou detergente suficiente, e certifique-se de que as roupas de cama estão completamente secas antes de as usar.

Tomar banho antes de dormir, evitar dormir a sesta ou entrar na cama a transpirar, remover a maquilhagem e evitar loções, cremes e óleos mesmo antes de dormir - tudo isto pode ajudar a manter a roupa limpa entre as lavagens. Não comer ou beber na cama, manter os animais fora dos lençóis, e remover as meias sujas também ajudará.

LEIA TAMBÉM
Com que frequência deve lavar as suas toalhas de banho?

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados