Romaria a Cavalo de Vendas Novas acaba em tragédia: pai morre e filho fica ferido após animais se assustarem

Agência Lusa , PF
24 abr, 17:05
Bombeiros

“Estavam a aparelhar os cavalos”, mas os animais “assustaram-se e houve o atropelamento”, disse fonte dos bombeiros locais

Um homem morreu e o filho sofreu ferimentos considerados ligeiros depois de terem sido atropelados esta quarta-feira, no concelho de Vendas Novas (Évora), por uma charrete participante na Romaria a Cavalo, revelaram a Proteção Civil e a GNR.

Fonte do Comando Territorial de Évora da GNR explicou à agência Lusa que a vítima mortal, “um homem de 56 anos”, e o “seu filho, de 28 anos”, foram ambos atropelados pela charrete que “faz parte da Romaria a Cavalo” entre Moita (Setúbal) e Viana do Alentejo (Évora).

“O atropelamento aconteceu no campo de futebol de Landeira, no concelho de Vendas Novas. Pela informação que os militares da GNR recolheram, os cavalos andaram sozinhos com a charrete e as duas pessoas foram atropeladas”, disse a mesma fonte.

Igualmente contactada pela Lusa, fonte do Comando Sub-Regional de Emergência e Proteção Civil do Alentejo Central explicou que o alerta para o atropelamento rodoviário, envolvendo “uma das charretes da Romaria a Cavalo”, foi dado aos bombeiros às 12:28.

“O ferido leve foi transportado para o hospital de Évora” e chegou a ser acionado para o local da ocorrência o helicóptero desta cidade alentejana do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), mas o homem de 56 anos acabou por morrer, encontrando-se ainda o corpo no local, por volta das 15:20.

Uma fonte dos Bombeiros de Vendas Novas explicou à Lusa que os participantes da Romaria a Cavalo, que partiu da vila de Moita na terça-feira, encontravam-se “num parque com os cavalos”, no campo de futebol de Landeira.

“Estavam a aparelhar os cavalos”, mas os animais “assustaram-se e houve o atropelamento”, disse a mesma fonte.

Os envolvidos, alegou a fonte dos bombeiros, “eram todos da romaria, mas estavam todos parados a fazer a logística e a preparação para retomar” o percurso.

A romaria termina em Viana do Alentejo, onde está prevista chegar no sábado à tarde, de acordo com o programa consultado pela Lusa.

Para o local do atropelamento, foram mobilizados 15 operacionais, apoiados por seis viaturas e o helicóptero, incluindo meios dos bombeiros, GNR e INEM.

País

Mais País

Patrocinados