Colapso de edifício no maior cemitério de Nápoles deixa caixões expostos e suspensos no ar

19 out, 12:01
Edifício desmorona e deixa caixões expostos no maior cemitério de Nápoles (Foto: Ciro Fusco/EPA)

Cerca de uma dúzia de caixões ficaram em equilíbrio precário

Pela segunda vez este ano, um edifício funerário colapsou no maior e mais antigo cemitério de Nápoles, o cemitério de Poggioreale, deixando expostos e pendurados em equilíbrio precário cerca de uma dúzia de caixões.

Segundo a imprensa italiana, já foi aberta uma investigação ao motivo que terá levado o edifício de mármore de quatro pisos, dividido em gavetas para caixões, a colapsar na tarde de segunda-feira. A construção que cedeu está próxima do novo crematório do cemitério mas, na altura do desmoronamento, as instalações já tinham encerrado ao público, pelo que não houve vítimas. 

Cemitério de Poggioreale é o maior de Nápoles e um dos maiores da Europa (Foto: Ciro Fusco/EPA)

Os familiares dos mortos ali enterrados fizeram na terça-feira um protesto, queixando-se da falta de manutenção dos cemitérios de Nápoles. Em janeiro passado, cerca de 300 nichos para caixões ficaram destruídos quando colapsou um outro edifício numa zona diferente do mesmo cemitério napolitano.

"Como administração, estamos a assegurar todas as formalidades necessárias", garantiu Vincenzo Santagada, vereador do município de Nápoles com o pelouro dos cemitérios. "O colapso foi precedido por uma pancada seca e uma densa nuvem de fumo", revelou aos jornalistas. 

A área nas imediações da construção foi interditada, já que os caixões suspensos podem precipitar-se para o solo a qualquer momento, tendo sido destacados para a área agentes da polícia local e bombeiros.

Europa

Mais Europa

Patrocinados