"O pior que eu já vi foi um cão que comeu uma barra de chocolate de 2,5 quilos, tudo". Animais de estimação e o Natal: uma receita para o desastre?

CNN , Sandee LaMotte
24 dez 2023, 11:00
Pode tomar medidas para evitar que o seu animal de estimação ingira decorações festivas. Kseniya Ovchinnikova/Moment RF/Getty Images

A ingestão de decorações é um cenário comum nesta época e que pode ter consequências perigosas. Mas existem outros perigos, como flores, plantas e alimentos preferidos da época, que são perigosos para gatos ou cães

Para um cão ou um gato, as festas natalícias estão repletas de diversão brilhante. Os enfeites de Natal pendem de um invasor alto na sala de estar, equipado com ramos feitos para trepar. As luzes cintilantes saltam de ornamentos frágeis, que muitas vezes parecem bolas feitas para a boca de um cão. Um esmagamento, no entanto, e os cacos podem causar ferimentos.

"Pense nisso - para o seu cão e gato, essa árvore é um convite para uma festa. Está cheia de ornamentos pendurados que se parecem muito com as bolas que lhes damos para brincar", sublinha Holly Sizemore, diretora de missão da Best Friends Animal Society, um santuário norte-americano sem fins lucrativos e sem animais eutanasiados, que oferece serviços de adoção, educação e esterilização para animais de rua.

Não se esqueça da fita - metros de cor em cascata sobre as caixas de presente, que para os gatos são fortalezas prontas que oferecem muitos esconderijos. Sem olhos humanos atentos, os amigos peludos podem meter-se em sarilhos, especialmente se já forem conhecidos como desordeiros, como Reniji, um gato de 15 anos.

"Oh, ele não aprende", diz a tutora, Cheryl Padgett. "Já comeu cortinas, cerdas de plástico ou palha de vassouras e mastiga qualquer tipo de rede. E tentará comer qualquer planta, real ou artificial."

Reniji tinha dois anos quando "inalou cerca de 30 centímetros de um balão que trouxe do trabalho para casa em 30 segundos", conta Padgett. Felizmente, uma endoscopia não encontrou fitas emaranhadas nos seus intestinos.

"Ele estava bem", lembra. A sua conta não - a fatura do veterinário chegou a 1.100 dólares, cerca de 1000 euros.

A ingestão de decorações é um cenário comum nesta época e que pode ter consequências perigosas, alerta Dana Varble, chefe veterinária da Comunidade Veterinária da América do Norte, uma organização sem fins lucrativos que fornece apoio e desenvolvimento profissional para a comunidade global de cuidados de saúde veterinária.

"O ouropel, a grinalda e todas as fitas enroladas nas embalagens, mesmo as fitas de tecido, os cães e gatos não conseguem decompor nada disso como parte da sua digestão", indica Varble. "E mesmo que o material não fique preso, pode causar muitos danos ao passar - dores de estômago, vómitos e diarreia."

Reniji, de 15 anos, tem pica, uma perturbação do comportamento alimentar que o leva a comer itens que não são alimentos. Cheryl Padgett

Não são apenas os gatos que se metem em sarilhos, esclarece. "Vi um cão que comeu uma coroa de Natal inteira. Não acabou bem. Ele teve de ser operado. Por isso, é preciso estar incrivelmente confiante de que os animais de estimação não vão comer as decorações."

"Caso contrário, têm de estar fora do alcance dos cães e guardadas em armários, longe do gato. Até a árvore de Natal tem de estar numa área onde eles não possam decidir que é uma árvore divertida para trepar."

Mas não se pode culpar o cão ou o gato, acrescenta, porque esse comportamento faz parte da maneira de estar de um predador.

"Cães e gatos são preparados para perseguir e atacar, e os gatos usam suas garras para agarrar, e no final desse comportamento predador eles são programados para ingerir, comer", explica Varble. "É assim que eles ganham o jogo contra a fita, o jogo contra o arame e o jogo contra os seus enfeites de Natal."

Plantas e alimentos tóxicos

Existem outros perigos para os seus animais de estimação. Muitas flores, plantas e alimentos preferidos da época são perigosos para gatos ou cães ou ambos, alerta Varble.

DICA DO VETERINÁRIO PARA PROTEGER A SUA ÁRVORE
Compre tapetes de plástico - do tipo com espigões para colocar debaixo de uma cadeira de escritório - e coloque-os de cabeça para baixo à volta da árvore. "As extremidades pontiagudas não são suficientes para causar danos ou cortar os pés, mas é o suficiente para os fazer pensar: 'Não quero estar em cima disso'", garante Dana Varble.

"Ocasionalmente, nesta época do ano, alguém recebe alguns arranjos muito bonitos de lírios vermelhos e brancos ou bulbos de amarílis", lembra. "Os lírios são extremamente tóxicos para os gatos - as folhas, os caules, o pólen do estame no meio dos lírios - podem causar insuficiência renal e até a morte em gatos."

Adicione poinsétias, visco e azevinho à lista de flores tóxicas da época festiva, "para que elas também sejam sempre mantidas em superfícies altas e fora do alcance", adverte Sizemore.

"O chocolate é muito tóxico para os cães e alimentos como uvas, cebolas, ossos de aves e qualquer tipo de álcool devem ser mantidos longe do seu animal de estimação", acrescenta Sizemore. "Até a água de uma árvore real pode criar bactérias e, se um gato a beber, isso pode ser prejudicial."

A ONG American Society for the Prevention of Cruelty to Animals [Sociedade Americana para a Prevenção da Crueldade contra os Animais, na tradução], fornece uma linha direta para envenenamento de animais de estimação. Em 2022, a sociedade ajudou 400.000 animais, quase um aumento de 5% em relação a 2021.

Os medicamentos humanos de venda livre lideraram a lista dos principais venenos em 2022, anunciou a ASPCA, seguidos de intoxicação alimentar por barras de proteína, produtos com adoçante artificial xilitol, uvas, passas e outros alimentos tóxicos. Os medicamentos prescritos para pessoas eram o terceiro veneno mais comum.

Esconder os presentes dos animais

Se não tem a certeza do que está dentro de um presente, Varble sugere que guarde os presentes num armário até ser altura de os abrir.

"Pode haver chocolates e alimentos embrulhados em presentes, e os cães têm essa capacidade única de encontrar o chocolate com o seu incrível olfato - chocolate em recipientes de plástico, chocolate em papel de embrulho, chocolate escondido numa bolsa ou num armário que eles de repente podem abrir", aponta. "É um risco muito elevado. O pior que eu já vi foi um cão que comeu uma barra de chocolate de 2,5 quilos, tudo. Esse cão estava muito doente".

É difícil resistir aos olhos suplicantes, mas na verdade estará a amar mais os seus animais de estimação se mantiver restos de mesa, ossos e outros petiscos longe deles, garante Varble.

"Vemos muita pancreatite e dores de estômago nesta altura do ano por causa de demasiadas guloseimas ou guloseimas a que não estão habituados", afirma. "Pode fazer com que o seu animal de estimação se sinta especial no Natal, dando-lhe comida enlatada em cima da ração ou fazendo-lhe frango e arroz simples. Nós prescrevemos isso para cães com problemas de estômago, mas eles adoram e veem isso como um tratamento."

O stress pode afetar os animais

O stress é um perigo nesta época em que as pessoas podem não pensar, adverte Varble. Tal como as pessoas, os animais de estimação podem reagir de forma exagerada ao ritmo frenético do período festivo.

"Vemos muitos distúrbios relacionados com o stress em cães e gatos nesta época do ano, que os enviam para as urgências com muito mais frequência do que poderíamos pensar", conta. "Nos cães, trata-se normalmente de vómitos e diarreia, enquanto nos gatos me preocupo com a micção e o coçar inadequados. E normalmente é porque os nossos horários mudaram."

Os animais anseiam pela rotina e podem reagir mal quando os convidados e os preparativos para as festas perturbam os seus horários habituais.

"Eles adoram saber que vão dar o seu passeio a esta hora, que recebem a guloseima a esta hora, que o jantar acontece a esta hora, que são acariciadosa àquela hora", observa. "Por isso, é importante tentar manter o horário do seu animal de estimação durante a época natalícia."

Relacionados

Estilo de Vida

Mais Estilo de Vida

Na SELFIE

Patrocinados