Brunei nomeia pela primeira vez uma mulher para liderar ministério

Agência Lusa , CF
8 jun, 09:55
O sultão do Brunei, Hassanal Bolkiah

Hajah Romaizah torna-se a primeira mulher a liderar uma pasta governamental. Até agora, os cargos mais elevados ocupados por mulheres tinham sido os de vice-ministra ou procuradora-geral (e a maioria eram familiares do sultão)

O sultão e primeiro-ministro do Brunei, Hassanal Bolkiah, nomeou pela primeira vez uma mulher para liderar um ministério do sultanato do Sudeste Asiático, durante um anúncio de uma reforma governamental.

Hassanal Bolkiah, que está à frente de vários ministérios, incluindo os Negócios Estrangeiros e a Defesa, afirmou numa mensagem televisiva, na terça-feira, que Hajah Romaizah vai cumprir um mandato de quatro anos como ministra da Educação.

Ex-vice-ministra desta mesma área, Romaizah torna-se assim na primeira mulher a liderar uma pasta governamental. No passado, outras mulheres, na maioria familiares do sultão, ocuparam cargos de vice-ministra ou procuradora-geral.

O sultão, que tem governado a nação islâmica conservadora desde 1967 e foi nomeado primeiro-ministro em 1984, depois da independência do Reino Unido, também anunciou mudanças noutras pastas ministeriais, como a do Interior, do Turismo e do Desenvolvimento.

“Essas nomeações carregam confiança. Uma confiança que deve ser cumprida com total lealdade e responsabilidade”, frisou o dirigente, que governa de forma absolutista.

Um estudo sobre a liderança das mulheres no país, publicado em 2021 pela Universidade do Brunei, apontou que, apesar de não haver discriminação de género na educação ou no emprego, as mulheres estão sub-representadas quando se trata do acesso a posições de responsabilidade.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados