BCE começa 'limpeza' histórica, com bancos a devolverem quase 300 mil milhões em empréstimos

18 nov, 16:13
Banco Central Europeu (AP Photo)

Bancos têm agora a primeira janela para procederem ao reembolso dos empréstimos baratos concedidos na pandemia, caso pretendam

O Banco Central Europeu (BCE) deve começar esta sexta-feira a maior retirada de dinheiro do sistema bancário da Zona Euro da sua história, dando aos bancos a primeira hipótese de pagar centenas de milhares de milhões de euros em empréstimos, segundo avança a Reuters (acesso condicionado, conteúdo em inglês). Os bancos comerciais da zona euro vão devolver antecipadamente ao BCE) quase 300 mil milhões de euros.

Esta medida enquadra-se nos esforços do BCE para combater a inflação recorde, que atingiu os 10,6% na Zona Euro em outubro. O banco central anunciou que os bancos vão devolver 296.293,74 milhões de euros de liquidez muito barata que lhes foi emprestada porque a instituição alterou as condições. Sendo que o reembolso antecipado será liquidado no dia 23 de novembro.

Esta é apenas uma tranche dos 2,1 biliões de euros de crédito plurianual que assumiram nas operações de refinanciamento de prazo alargado direcionadas (TLTRO, na sigla em inglês).

Os analistas citados pela Reuters estimavam que os bancos iriam pagar cerca de meio bilião de euros em empréstimos TLTRO, naquela que é a primeira oportunidade para o fazer. Este montante tornaria esta a maior queda no excesso de liquidez desde que os registos começaram em 2000.

O reembolso antecipado de TLTRO é voluntário, mas o BCE deu aos bancos um incentivo para pagar os empréstimos, ao fazer alterações às taxas no mês passado.

No final de outubro, o banco central já tinha anunciado alterações no esquema dos empréstimos TLTRO de 2,1 biliões de euros, de forma a cortar as borlas à banca comercial. “Devido à subida inesperada e extraordinária da inflação, este instrumento necessita de ser recalibrado para assegurar a sua compatibilidade com o processo mais geral de normalização da política monetária e reforçar a transmissão dos aumentos das taxas diretoras às condições de financiamento bancário”, explicou.

O BCE disse que as taxas de juro das operações TLRO serão indexadas à média das taxas de juro diretoras aplicáveis durante este período com o objetivo de os bancos reembolsarem os empréstimos mais cedo. Além disso, o banco central também decidiu que as reservas mínimas serão remuneradas à taxa de depósito do BCE, em vez da taxa principal, que é 50 pontos base mais alta. Lagarde explicou que vão ser abertas três janelas para os bancos procederem ao reembolso dos empréstimos, caso pretendam.

Relacionados

Economia

Mais Economia

Patrocinados