Técnicos do INE e das Finanças têm aumento salarial extra aprovado antes da queda do Governo

ECO - Parceiro CNN Portugal , Fátima Castro
29 nov 2023, 10:50
António Costa e Fernando Medina (Lusa/Tiago Petinga)

Técnicos superiores do Instituto Nacional de Estatística e especialistas em orçamento e finanças vão ter aumento extraordinário de 52,64 euros brutos mensais com retroativos a 1 de janeiro deste ano

Em plena crise política e a poucos dias de o Governo cair oficialmente, foram aprovados através de um decreto de lei aumentos salariais para os técnicos especialistas em orçamento e finanças e do Instituto Nacional de Estatística (INE). Em causa está um aumento extraordinário, ainda este ano, de 52,64 euros brutos mensais, com retroativos a 1 de janeiro deste ano.

O diploma, publicado esta quarta-feira em Diário da República, permite um salto extra na posição remuneratória em cada um dos 14 níveis existentes. Assim, o salário de entrada destes licenciados, que está nos 1.333,35 euros brutos mensais, vai subir 52,64 euros para 1.385,99 euros. Este aumento de cerca de 52 euros vai beneficiar os trabalhadores dos restantes patamares remuneratórios. Só na última posição, que está nos 3.775,83 euros, não haverá uma valorização salarial.

“Neste contexto de valorização das carreiras, o Governo reconhece como necessário que as valorizações remuneratórias efetuadas na carreira geral de técnico superior tenham idêntica tradução, ainda em 2023, nas carreiras especiais de técnico superior especialista em orçamento e finanças públicas do Ministério das Finanças e de técnico superior especialista em estatística do Instituto Nacional de Estatística”, lê-se no decreto de lei publicado esta quarta-feira.

O secretário-geral da Federação de Sindicatos da Administração Pública (FESAP), José Abraão, adiantou ao ECO que a medida, agora oficializada em Diário da República, vai beneficiar “cerca de 500 trabalhadores”.

Governo

Mais Governo

Patrocinados